Ana Luís: Proposta de Plano para a Saúde Mental dos Açores não dá resposta aos Açorianos assistidos pelo Hospital da Horta e deve ser corrigido

0
28
blank

Na sequência de uma reunião com o Conselho de Administração e com a Direção do Serviço de Psiquiatria do Hospital da Horta, os deputados do GPPS/A constataram que “a proposta de Plano Regional para a Saúde Mental dos Açores, que se encontra em discussão pública, não atende à realidade da população assistida pelo Hospital da Horta”, devendo ser corrigido.

O serviço de Psiquiatria do Hospital da Horta abrange 5 das nove ilhas da Região: Faial, Pico, São Jorge, Flores e Corvo.

Para a deputada Ana Luís, em causa está “o desconhecimento grosseiro da atividade desenvolvida ao longo dos últimos anos pelo serviço de Psiquiatria, sendo apresentadas propostas como o recurso ao acompanhamento de doentes por videoconferência quando este sistema já se encontra implementado desde 2019”.

“Por outro lado, é proposto o acesso a electroconvulsivoterapia quando os doentes que necessitam deste tratamento são encaminhados para o Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, em articulação com o Hospital da Horta, sendo os casos referenciados sempre que se justifica”, apontou Ana Luís.

Para a deputada Ana Luís, o Hospital da Horta “não deve, nem pode, ser excluído quando no documento é assumida a necessidade de criar acessos e espaços exteriores nos serviços de internamento para os Hospitais de Ponta Delgada e de Angra do Heroísmo”, porque embora não seja dotado de serviço de internamento, a realidade é que “interna igualmente doentes psiquiátricos em outras unidades de internamento”.

Ana Luís considera que “esta inexplicável desconsideração pelo Serviço de Psiquiatria do Hospital da Horta, aprofunda-se e evidencia-se quando relativamente à Pedopsiquiatria existe, apenas e só, menção aos Hospitais de Ponta Delgada e de Angra do Heroísmo”.

A saúde mental para crianças e jovens é, no entendimento dos socialistas, “descurada na proposta apresentada após a aprovação, por unanimidade na Assembleia Legislativa Regional, de uma resolução do PS.

A proposta socialista previa que, no âmbito da criação de um Plano Regional de Saúde Mental, sejam “implementadas medidas objetivas na Região, principalmente numa altura em que, pelos efeitos da pandemia, se torna ainda mais premente atuar ao nível da saúde mental das nossas crianças e jovens”, vincou Ana Luís.

O PS discorda com a “manutenção da especialidade de psiquiatria nos hospitais gerais, tanto a nível assistencial para internamento, como de consulta”, descurando o Hospital da Horta, porque “não se pode, nem se deve, condicionar a acessibilidade a cuidados de saúde psiquiátrica de quem reside em ilhas sem hospital” que, na redação atual, “terão de deslocar-se para fora da sua área de residência”.

“A proposta de Plano para a Saúde Mental dos Açores peca por ignorar o diagnóstico de situação realizado em 2019 e descura a realidade do Hospital da Horta e da população que o mesmo assiste. Este documento deve ser rapidamente corrigido”, finalizou a deputada do PS, Ana Luís.