Artur Lima diz não poder aceitar “falta de solidariedade” da República sobre apoios às famílias

0
24
DR/VPG
DR/VPG

O Vice-Presidente do Governo Regional dos Açores, Artur Lima, disse na passada terça-feira não poder aceitar a “falta de solidariedade” do Governo da República para com a Região no que diz respeito aos apoios aos pais que ficam em casa a cuidar dos filhos quando as escolas estão encerradas.

“As escolas estão encerradas na ilha de São Miguel e quem vai suportar o custo da mãe ou do pai que fica em casa a tomar conta do seu filho é o Governo dos Açores. O Governo da República não quer pagar aos pais dos Açores”, sinalizou Artur Lima.

O governante, que falava após se ter reunido em Angra do Heroísmo com o presidente do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, lembrou que a Segurança Social é uma instituição de âmbito nacional e, como tal, o Governo da República deveria apoiar também as famílias açorianas.

“Hoje é o Governo dos Açores que suporta na totalidade o custo dos pais que ficam em casa a tomar conta dos filhos. O Governo da República não é solidário com as famílias açorianas”, acrescentou.

De todo o modo, o Vice-Presidente sublinhou que as famílias da Região podem ficar “absolutamente descansadas” em situações semelhantes, porque o Executivo Açoriano, mesmo sem a “solidariedade nacional”, avançará com os apoios necessários.

“Se fechar uma escola em Trás-os-Montes ou no Algarve, naturalmente que o Governo da república irá pagar os 66% ao pai ou mãe que fica em casa. As escolas fecham nos Açores e o Governo da República não paga nada. Isso é uma discriminação negativa que não aceitamos”, declarou ainda.

Após a reunião com o líder do CDS, Artur Lima advogou que o atual Governo dos Açores “imprimiu uma dinâmica social diferente na Região”.

“Queremos atuar na infância, na juventude e na terceira idade. Uma política social de apoio à natalidade, de apoio aos jovens para adquirirem habitação e o programa do idoso em casa. É a primeira vez que se implementa em Portugal um programa desse género. Orgulhamo-nos também de que até ao final da legislatura haja creches gratuitas para todos”, detalhou.

Abordou-se também a posição geoestratégica dos Açores que é muito relevante para o panorama internacional de Portugal. A dimensão atlântica que Portugal tem devido à existência dos Açores.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO