Cartas de um jovem irrequieto: Metas iguais, pontos de partida diferentes

0
177
blank
Miguel Duarte site

Se deixo para os filósofos o porquê de estar aqui, para os políticos pergunto o porquê da democracia e a sua missão, a questão base para a definição de qualquer ideologia ou crer político. Se, para alguns, é a expressão do indivíduo, levando a derivas ultraliberais e individualistas, para mim é a maximização da individualidade do mesmo, a capacidade de exercermos a nossa racionalidade em tudo o que ela nos tem para oferecer, para que possamos pensar, crescer e seguir qualquer caminho, por nós definido. Para isso, precisamos de duas coisas: saúde e educação. Falando de educação, com o aumento exponencial dos preços dos mestrados, e por consequência, a sua inacessibilidade, um braço da democracia falha.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura