Outubro Rosa

0
7
TI

O Mês de outubro é assinalado por duas efemérides: a 15 de outubro assinala-se o Dia Mundial da Saúde da Mama e a 30 de outubro o Dia Nacional de Luta Contra o Cancro da Mama. É no período compreendido entre estas datas que a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) desenvolve o movimento “Onda Rosa” procurando incentivar à prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama. A LPCC, fundada em 1941, é uma das mais antigas instituições no espaço europeu na luta contra o cancro.
Em Portugal, são detetados, anualmente, cerca de 6000 novos casos de cancro da mama e 1500 mulheres morrem, vítimas desta doença. Apesar da gravidade dos números, a taxa de mortalidade tem vindo a diminuir, ao longo dos anos. Cerca de 1% de todos os cancros da mama são no homem. Grande parte da informação apresentada sobre o cancro da mama é, também, aplicável a homens com cancro da mama. O cancro afeta-nos, a todos, de diferentes maneiras, mas também todos temos o poder de agir para reduzir o impacto que este tem sobre as pessoas, famílias e comunidades.
Estima-se que surjam, todos os anos, 430 000 novos casos na Europa e que uma em cada 10 mulheres venha a desenvolver a doença, antes dos 80 anos. O cancro da mama é uma das doenças com maior impacto na nossa sociedade, não só por ser muito frequente, e associado a uma imagem de grande gravidade, mas também porque agride um órgão cheio de simbolismo, na maternidade e na feminilidade. A investigação continua a esclarecer questões relacionadas com o cancro da mama: são descobertos novos dados acerca das suas causas e novos modos de prevenir, detetar e tratar esta doença. Assim, as pessoas com cancro da mama podem esperar uma melhor qualidade de vida e menor hipótese de morrer devido a esta doença.
O papel da prevenção reside fundamentalmente no diagnóstico precoce, pois o processo causador da doença é muito complexo e são responsáveis não apenas um fator, mas sim múltiplos e variados fatores que nos rodeiam. O diagnóstico precoce do cancro da mama é fundamental para a cura da doença.
As recomendações mundiais assentam, unanimemente, na realização periódica de Mamografias, para que em casos de desenvolvimento de um tumor, o diagnosticado se faça numa fase muito inicial e curável. Geralmente, o cancro da mama é “traiçoeiro” no seu desenvolvimento, não dá sintomas e só mais tarde pelo seu crescimento agressivo vai envolvendo as estruturas vizinhas e torna-se palpável. Assim, além da Mamografia, o autoexame mamário realizado pela mulher é fundamental para conhecer a forma da glândula e detetar alguma alteração e procurar o seu médico, de imediato.
O movimento conhecido como Outubro Rosa nasceu nos Estados Unidos, na década de 1990, para estimular a participação da população no controlo do cancro da mama. A data é celebrada, anualmente, com o objetivo de promover a consciencialização sobre a doença e partilhar informações sobre o cancro de mama. Um pouco por todo o mundo, durante este mês, a cor rosa alastra-se com o objetivo de permitir sensibilizar a população para a temática da prevenção e diagnóstico precoce.
Participe em programas organizados de rastreio do cancro para: Cancro colo-retal (homens e mulheres); Cancro da mama (mulheres); Cancro do colo do útero (mulheres). Há evidência científica sobre a importância da participação em programas de rastreio.
O Código Europeu Contra o Cancro incide nas medidas que os cidadãos podem tomar, individualmente, para contribuir para a prevenção do cancro. Tomar decisões saudáveis, como deixar de fumar, ser fisicamente ativo e escolher alimentos e bebidas saudáveis, contribui para a redução do risco de cancro. Uma boa prevenção do cancro exige que estas ações individuais sejam apoiadas por políticas e medidas públicas. Saiba mais sobre o Código Europeu Contra o Cancro em: http://cancer-code-europe.iarc.fr

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO