Comemorações do XVII Dia Municipal do Bombeiro

0
39
TI

TI

No passado dia 04 de maio realizou-se no Salão Nobre dos Paços do Concelho a sessão solene comemorativa do XVII Dia Municipal do Bombeiro, que teve como momentos altos a assinatura do protocolo de cooperação financeira entre a Câmara Municipal da Horta e a AHBVF e a atribuição de diplomas de reconhecimento aos bombeiros com 10 e 25 anos de serviço e atribuição da medalha de mérito municipal dourada ao adjunto de Comando do Quadro de Honra Carlos Manuel da Silva Oliveira.

Associando a comemoração do Dia Municipal do Bombeiro ao Dia Internacional da Proteção Civil, realizou-se no Salão Nobre dos Paços do Concelho, no dia 04 de maio, a sessão solene comemorativa do XVII Dia Municipal do Bombeiro. A sessão teve o seu início com a formalização do protocolo de cooperação financeira entre a Câmara Municipal da Horta e a AHBVF no valor de € 170.001,20, o qual representa o apoio financeiro do município aos bombeiros para a concretização da permuta do terreno do futuro quartel.
“Hoje queremos enaltecer a grandeza dos vossos feitos, a importância das vossas ações diárias e a necessidade de todos promovermos uma cultura de protecção civil que reconheça a nobreza dos riscos a que estamos sujeitos, para que as nossas ações possam ser ajustadas e realizadas com maior segurança”, começou por destacar José Leonardo Silva no seu discurso.
Segundo o Presidente do Município “vivemos num período marcado por enormes desafios”, o que exige dos nossos bombeiros um grande esforço de adaptação, na medida em que são eles que “estão na primeira linha de socorro às populações”.
Reconhecendo o trabalho sobretudo na área da formação que tem vindo a ser realizado pela corporação de bombeiros, salientou o autarca que “outra vertente importante está relacionada com os equipamentos de proteção e socorro, cujos desafios são muitos, mas não devem por em causa a capacidade de atuação das nossas corporações”.
Destacando o apoio financeiro que o Município deu à AHBVF na aquisição de equipamentos especializados, José Leonardo considerou que “no âmbito de uma cultura de proteção civil” se estão a desenvolver esforços para chegar cada vez mais “a um maior número de pessoas”, com incidência no Centro Municipal de Protecção Civil e Operações de Emergência”, através de ações de sensibilização.
O autarca lembrou ainda no seu discurso a criação, em 2017, do cartão municipal do bombeiro que incorpora “um leque de benefícios”, e de que estão a trabalhar para, durante este mandato, “ampliar esses benefícios “.
Leonardo não deixou de se referir também à construção do novo quartel de bombeiro, construído “com fundos do Governo Regional em terrenos da UrbHorta”.
Usando da palavra, o presidente da Direção da AHBVF, José Manuel Braia Ferreira, começou por destacar que “o Dia Municipal do Bombeiro simboliza o reconhecimento pelos atos dos “Soldados da Paz” em defesa do território e dos cidadãos”, e que o facto de se estender a outros concelhos dos Açores, mostra a importância que os bombeiros e bombeiras e as respetivas Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários têm para os cidadãos e concelhos da Região.
Braia Ferreira considerou que “o ano de 2017 foi muito difícil para Portugal e para os portugueses, no que toca aos incêndios florestais e urbanos”, e que é necessária uma reflexão sobre a importância dos bombeiros voluntários e suas Associações, no contexto de uma proteção civil ativa, moderna e profissional.
Levantando uma série de questões importantes relativas aos bombeiros e às Associações Humanitárias, o Presidente da AHBVF saudou a presença “novos atores para este teatro de operações”, esperando que esses não sejam bombeiros e bombeiras apenas das nove às cinco.
“O Faial e os Açores podem continuar a contar com a Associação Humanitária de Bombeiros Volun-tários do Faial e com o seu Corpo de Bombeiros. Contam connosco para um concelho mais seguro e para uma região melhor preparada para enfrentar as dificuldades”, salientou ainda o Presidente da Direção da AHBVF.
O Vice-Presidente do Serviço Regional da Proteção Civil e Bombeiros dos Açores começou por destacar a importância do Dia Municipal do Bombeiro, pois “nunca é demais enaltecer e reconhecer o contributo dos homens e mulheres que se dedicam de corpo e alma numa atividade assente no puro voluntarismo, na manutenção da segurança e reforço da qualidade de vida da população”.
Cumprimentou, de seguida, o adjunto de Comando do Quadro de Honra Carlos Manuel da Silva Oliveira e todos os bombeiros que cumpriram 10 e 25 anos de serviço efectivo como Bombeiros Voluntários, em virtude de terem ao longo dos anos “o empenho necessário” para assumirem as funções que lhes foram confiadas.
Para Osório da Silva, ser bombeiro é “uma vocação norteada pelo enorme desafio de proteger o que é fundamental preservar a todo o custo, a vida, é trabalhar por amor à vida dos outros, é ser corajoso, esforçado, dedicado e empenhado no código de honra assente no humanismo e cujo lema é dar sem nunca pensar em receber”.
Salientando a importância que as famílias dos bombeiros têm na vida dos mesmos, nos sacrifícios necessários para o desempenho dessas funções, o Vice-Presidente do SRPCBA considera que o Governo Regional aposta “numa verdadeira cultura de protecção civil”, envolvendo toda a nossa população.
Elogiando o trabalho desenvolvido pelos soldados da paz, Osório da Silva destacou que, no ano de 2017, os bombeiros do Faial intervieram em 2514 ocorrências de várias naturezas, numa média de 200 intervenções por mês.
Referiu-se, por último, ao processo de construção do novo quartel dos bombeiros do Faial, considerando importante o seu investimento, pois “permite melhorar as condições de trabalho dos nossos bombeiros voluntários e de todos os elementos ligados à proteção civil, para que possam dar uma melhor resposta às várias solicitações que recebem das mais variadas áreas de intervenção”.
Para o Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, os “Bombeiros Voluntários do Faial são uma corporação dinâmica e ativa, com uma escola de infantes e cadetes, que tem apostado na formação dos seus elementos”.
De acordo com Gui Menezes esta é “uma das mais prestigiadas instituições do concelho da Horta”, feita de homens e mulheres “dedicados à causa pública, disponíveis para ajudar e trabalhar em prol da nossa comunidade”.
Segundo o governante é importante continuar a valorizar e acarinhar o trabalho desenvolvido pelos Bombeiros Voluntários do Faial e envolver-nos mais no movimento associativo através do voluntariado, pois o ser bombeiro é uma das formas mais nobres de exercer o voluntariado.
Novidade apresentada pelo Secre-tário do Mar foi que a Direção Regional dos Assuntos do Mar irá promover em breve um curso de nadadores-salvadores na Horta, oferecendo aos Bombei-ros do Faial oito inscrições para que, quem queira, possa realizar essa formação.
“Com esta medida pretendemos colmatar o número insuficiente de nadadores-salvadores, reforçando a sua presença na prestação de assistência e socorro aos banhistas, bem como na prevenção destas situações, e por outro, capacitar os nossos bombeiros na proteção civil”, disse Gui Menezes.
A terminar a sessão solene foram homenageados com diplomas de reconhecimento os bombeiros do corpo ativo que cumpriram 10 e 25 anos de serviço como Bombeiros Voluntários e ainda a imposição da medalha de mérito municipal dourada ao adjunto de Comando do Quadro de Honra Carlos Manuel da Silva Oliveira.