Deputado do PCP na ALRAA – SATA pratica “boicote” encapotado à ilha do Faial

0
17
TI

Nos dias 15 e 16 a representação parlamentar do PCP Açores efectuou uma visita oficial à Ilha do Faial, tendo realizado reuniões de trabalho com a Cooperativa Agrícola Lacticínios do Faial (CALF), a Associação de Agricultores do Faial, a Associação de Jovens Agricultores, o Movimento em Defesa do Aeroporto da Horta e a Administração do Hospital da Horta.
No final dessas reuniões, em conferência de imprensa, deu conta dos resultados obtidos.

Em conferência de imprensa realizada na ilha do Faial no passado dia 16 de março, João Paulo Corvelo, deputado do PCP Açores na Assembleia legislativa Regional, deu conta do resultado das diversas reuniões de trabalho que teve com diversas associações da ilha, nomeadamente com a Cooperativa Agrícola Lacticínios do Faial (CALF), a Associação de Agricultores do Faial, a Associação de Jovens Agricultores, o Movimento em Defesa do Aeroporto da Horta e a Administração do Hospital da Horta, no âmbito de uma visita oficial à ilha.
Considera o deputado regional do PCP que, dessas reuniões, sobressai um conjunto de questões e de problemas “demonstrativos das erradas opções políticas do Governo Regional dos Açores”, nomeadamente no tocante à Ilha do Faial.
Reportando-se aos transportes aéreos, à reunião tida com o Grupo do Aeroporto da Horta e à manifestação agendada, João Paulo Corvelo considera que o PCP “partilha das preocupações que este grupo tem, que é o facto de a ilha do Faial deixar de ser atractiva, apetecível em termos turísticos e em termos de escoamentos dos produtos”.
Para o deputado “o Governo está centralizado e que se prepara para centralizar tudo numa ilha esquecendo as ilhas que necessitam”. Quanto à manifestação concorda com a mesma “pois é uma forma de luta para que o Governo perceba que isto vai travar a economia do Faial”.
Continuando a referir-se aos transportes aéreos, João Paulo Corvelo entende que se assiste no Faial a “um boicote encapotado à ilha por parte do Grupo SATA, com a diminuição de mais de 11.000 lugares no próximo Verão IATA, e com as consequentes dificuldades para exportação e escoamento de produtos como o peixe, o queijo e as flores.
Por outro lado, considera que as elevadas tarifas praticadas para o destino Faial, bem como a falta de promoção adequada do destino Faial e a falta de publicação atempada dos horários “mais não é que uma política para afastamento dos turistas deste destino”.
Quanto ao setor agrícola, apercebeu-se de inúmeros problemas relacionados com o abastecimento de água às explorações, o lastimável estado dos caminhos agrícolas e a falta de apoio governamental para a criação de cortinas de abrigo nos terrenos dos produtores agrícolas.
No domínio dos lacticínios, o deputado regional do PCP salientou que devido às políticas erradas protagonizadas pelo Governo Regional assiste-se a uma “quebra na produção leiteira que nos últimos 14 anos passou de 14 milhões de litros para 11 milhões, devido, sobretudo, à desistência da produção de leite por parte de apreciável número de agricultores”.
“No tocante à produção verifica-se a necessidade da redução dos custos de produção, não à custa dos trabalhadores, mas sim através de uma política de redução dos custos com a energia, nomeadamente com a energia elétrica, da redução do preço do gasóleo, do apoio às energias alternativas e da modernização dos equipamentos”, disse João Paulo Corvelo.
Por fim, no domínio da saúde, espera que o Governo Regional solucione a situação de “36 trabalhadores com vínculos de trabalho precários no Hospital da Horta” e a deslocação de especialistas a esse hospital para realizar consultas.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO