Estudo do OKEANOS publicado em revista internacional “Frontiers of Marine Science”

0
46
blank
OKEANOS

Mariana Rovoredo

Foi recentemente publicado, na revista científica internacional “Frontiers of Marine Science” um estudo do Grupo de Investigação do Mar Profundo do Instituto OKEANOS, da Universidade dos Açores (UAc).

Intitulado “Modelling the Dispersion of Seafloor Massive Sulphide Mining Plumes in the Mid Atlantic Ridge Around the Azores” e da autoria de Telmo Morato, Manuela Juliano, Christopher K. Pham, Marina Carreiro Silva, Inês Martins e Ana Colaço, este trabalho de investigação estudou os efeitos colaterais da exploração mineral do mar profundo, que poderá afetar a sua biodiversidade e recursos pesqueiros.

De acordo com o estudo, os sedimentos libertados durante a exploração mineral poderão dispersar por uma área equivalente a 10 mil campos de futebol e afetar ecossistemas marinhos vulneráveis e a pesca comercial. A exploração mineral do mar profundo produzirá plumas de sedimentos que poderão cobrir uma área até 150 km2 e dispersar por mais de 800m na coluna de água. Estas plumas, com elevado potencial tóxico, porão em risco os corais de água fria e as atividades de pesca existentes, impactos particularmente preocupantes em regiões como os Açores, onde as populações locais estão dependentes do mar profundo e dos seus recursos para a sua economia e subsistência.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura