Gui Menezes aponta educação para a ciência e literacia azul como ferramentas cruciais para conservação dos oceanos

0
15
DR

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou hoje, na Lagoa, que a educação para a ciência é “crucial para a mudança de que o nosso planeta necessita” e para “preparar as próximas gerações para os grandes desafios da atualidade, como é o caso das alterações climáticas”.

Para Gui Menezes, a literacia azul é “fundamental para tornar a sociedade, sobretudo as gerações mais jovens, mais responsável na forma como se relaciona com os oceanos, tão importantes para o equilíbrio do nosso planeta”.

O Secretário Regional, referindo-se à conferência ‘O Futuro do Planeta’, que decorreu este fim de semana, em Lisboa, organizada pelas fundações Francisco Soares dos Santos e Oceano Azul, salientou o facto de “muitos dos intervenientes terem destacado a educação das gerações mais novas para os problemas que os oceanos enfrentam como fundamental para uma alteração de mentalidades, e para que esses problemas possam ser resolvidos no futuro”.

Gui Menezes falava na sessão de abertura da 7.ª Conferência Anual da European Marine Science Educators Association (EMSEA), organizada pelo Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia, em parceria com a Associação Europeia dos Educadores em Ciências do Mar, e que reúne, durante quatro dias, cerca de uma centena de professores, investigadores e interessados em educação para as ciências do mar.

Na sua intervenção, o governante salientou a aposta do Executivo açoriano no ensino experimental das ciências e destacou o trabalho desenvolvido pelos seis centros de ciência da Região, sendo que um deles é o Observatório do Mar dos Açores.

Neste sentido, referiu o Plano de Ação para a Cultura Científica e Tecnológica, lançado pelo Governo dos Açores, num investimento de cerca de quatro milhões de euros, frisando que “comprova que a educação científica é encarada como uma ferramenta crucial para o desenvolvimento das políticas públicas para a ciência”.

O Secretário Regional destacou o projeto ‘Educar para uma Geração Azul’, que está a ser implementado nas escolas da Região, centrado na conservação e no uso sustentável dos recursos marinhos, e que decorre do programa ‘Blue Azores’, resultado de uma parceria entre o Governo dos Açores, a Fundação Oceano Azul e o Instituto Waitt.

Gui Menezes referiu ainda que os Açores são “um local único no mundo pela diversidade de ecossistemas marinhos”, frisando que está sediada na Região uma comunidade científica “competente e com grande experiência”, frisando que os Açores estão envolvidos “em inúmeros projetos de investigação, que estão em curso no âmbito de vários mecanismos de financiamento, como o Horizonte 2020 ou os INTERREG, e que incluem assuntos ligados à educação marinha e à literacia dos oceanos”.

Durante a sua intervenção, o governante defendeu que são eventos como as conferências da EMSEA que “podem fazer a diferença, promovendo e partilhando conhecimentos e boas práticas ligados à literacia dos oceanos”.

Neste sentido, destacou a sessão EMSEA Expo, que vai decorrer quarta-feira, direcionada para professores locais e para a comunidade em geral, referindo que “vai permitir à comunidade açoriana aprender com os melhores educadores de ciências marinhas da Europa”.

“É uma oportunidade de sensibilizar a sociedade para a importância dos oceanos e de inspirar os professores locais nas suas atividades de ensino na Região sobre esta temática”, disse.

A EMSEA Expo, com entrada livre, decorre das 15h30 às 19h30, no Centro de Ciência Viva – Expolab, na Lagoa, e visa apresentar atividades práticas e experimentais subordinadas à temática da ‘Literacia dos Oceanos’.

Serão apresentados 16 projetos, sendo que os visitantes poderão, por exemplo, explorar os oceanos através de tecnologia 3D ou através de simuladores de veículos submarinos operados remotamente, ou construir cenários de pesca artesanal.

Criada em 2011, a EMSEA é uma organização internacional sem fins lucrativos que promove a literacia dos oceanos, reúne professores e educadores de centros de ciência e aquários europeus e disponibiliza uma plataforma para a promoção e a capacitação nas áreas das ciências do mar.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO