Jante 18 apostou nos carros usados há 10 anos atrás

0
54

João e Ana Borges são os sócios-gerentes da empresa automóvel Jante18 que há dez anos atrás trouxe  um novo conceito à venda de automóveis na ilha do Faial:  a venda de automóveis usados. 

Os sócios, ele natural da ilha do Faial e ela de Cascais, tinham vontade de viver na ilha do Faial e de abrir um negócio, a oportunidade de enveredar por uma área que ainda não existia na ilha deu o mote para que abrissem a sua empresa.

João Borges explicou que “até aquela altura, há dez anos atrás, os carros usados na Horta não eram tratados com a devida dignidade, vendia-se o novo e o usado quase que tinha que pedir para o comprar” e relembrou “ nós decidimos abrir um parque exterior de exposição de viaturas, o que também na época não havia nada específico dedicado a isso, e começamos a implementar o conceito do carro seminovo, que não havia no mercado local”.

A aposta nas parcerias com gestores de frotas permitiu arranjar carros com qualidade e a preços aliciantes, outras das novidades que a Jante 18 trouxe ao Faial há dez anos atrás, foi as garantias para carros usados e ainda na assistência após venda. 

Inicialmente eram apenas os dois sócios-gerentes que faziam todo o trabalho da empresa, com a implementação das garantias e assistência houve necessidade de contratar um mecânico e mais tarde a implementação de uma oficina. 

Hoje em dia a empresa emprega seis pessoas dedicada totalmente á Jante 18, entre mecânico, vendedores e pessoal de escritório, e mantêm as mesmas instalações que foram remodeladas em 2008, altura em que houve uma evolução vincada na empresa e implementaram um site onde as pessoas passaram a ter acesso aos veículos e preços praticados pela Jante 18. 

O principal objetivo da empresa é arranjar carros a bom preço e com qualidade e prestar uma boa assistência pós venda para satisfazer sempre o cliente. A empresa dedica-se principalmente à venda de automóveis usados, podendo vender também carros novos, venda de peças e manutenção dos automóveis e ainda é possível fazer seguros quer de automóveis ou de outro bem qualquer, sendo também mediadores seguros. 

João Borges contou ao Tribuna das Ilhas o porquê da escolha do nome da empresa Jante 18, a escolha do nome tem um “toque” especial, o sócio João Borges confessou ser um apaixonado por automóveis, corridas e rallys, e por a medida da jante que o carro em que ele corria em asfalto era a número 18, acabaram por escolher esse nome, além dos sócios não quererem focar a empresa numa pessoa ou no nome dos sócios, mas sim um nome que se distingue-se e para que a Jante 18 ganhasse uma imagem e identidade própria. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO