José Leonardo Silva acredita numa “expressiva vitória”

0
9
DR

O candidato socialista à Câmara Municipal da Horta, José Leonardo Silva, acredita que conseguirá uma “expressiva vitória”, nas eleições Autárquicas de 1 de outubro. A afirmação foi proferida no decorrer do jantar comício que reuniu mais de um milhar de apoiantes no Pavilhão da Freguesia de Castelo Branco.

No jantar comício que decorreu no sábado à noite, no pavilhão desportivo da Freguesia de Castelo Branco, José Leonardo Silva, mostrou-se confiante na vitória, nestas eleições Autárquicas 2017. 
“Cumprimos, por isso defendemos lealdade e compromisso na nossa ação para os próximos quatro anos e acreditamos que não temos nenhuma razão para não sermos eleitos no próximo dia 1 de outubro, como acreditamos”, disse José Leonardo Silva.
Destacando o trabalho realizado nos últimos quatro anos, o candidato afirmou que “não tenho dúvidas, que vamos ter uma expressiva vitória” aproveitando a ocasião para fazer um apelo ao voto. 
Dirigindo-se à sua equipa e aos cerca de um milhar de apoiantes presentes, o candidato salientou, “para isso, caras e caros amigos, precisamos do vosso apoio e do vosso empenho na mobilização que ainda temos de fazer daqui até ao dia das eleições”, disse.
Durante o jantar comício e consciente dos “grandes desafios” que tem pela frente nos próximos quatro anos, José Leonardo Silva garantiu que irá continuar o trabalho iniciado há quatro anos, no que às medidas de carácter social diz respeito.
“Continuaremos, sem sombra de dúvida, a apostar nas pessoas, através do reforço dos nossos projetos e das medidas de âmbito social, com especial destaque para a criação de emprego sustentável, no concelho, assim como para o reforço do fundo de emergência social, que passará a albergar um programa de apoio na compra de medicamentos para pessoas mais necessitadas, para que todos os cidadãos tenham direito a uma vida condigna”, anunciou o socialista.
José Leonardo Silva, que encabeça novamente a candidatura do PS/Faial à Câmara Municipal da Horta (CMH), pretende ainda, continuar a ajudar as famílias do concelho, através da devolução do IRS, mantendo o IMI à taxa mínima permitida por lei e o benefício para as famílias com 1,2,3 ou mais dependentes.
A nível económico o socialista quer dar continuidade à atualização do Plano de Urbanização, implementar o PIRUS – Plano Integrado de Regeneração Urbana Sustentável da cidade da Horta e “rever o PDM, cujo processo de consulta a empresas já se encontra em andamento”.
No que diz respeito ao investimento, o candidato tem as atenções viradas para a Frente Mar. “Não vamos criar mais projetos. Vamos fazer a frente mar, cuja primeira intervenção já adjudicámos há 15 dias”, afirmou o candidato com convição. 
Segundo José Leonardo Silva, a nova Frente Mar será “a maior obra que se vai realizar na cidade da Horta, desde o 25 de Abril” e terá implicações “no nosso modo de vida, na nossa forma de receber quem vem de fora, na forma dos nossos comerciantes promoverem a sua atividade, que vai ficar de herança para os nossos filhos e netos”, frisou.
Ainda em matéria de investimentos, o socialista adiantou que tem um plano para fazer “uma intervenção que permite continuar a desfrutar de uma das Mais Belas Baías do Mundo, sem ficarmos privados dela” através de “42 projetos autónomos, que vão virar a cidade e o concelho para o mar e o mar para a cidade”, adiantou.
“Este é o nosso plano estratégico, não precisamos de pensar em mais planos estratégicos quando ele já existe há muito e contou com a participação de todos nós faialenses”, avançou.
José Leonardo Silva lembrou ainda que ao nível das acessibilidades, enquanto presidente da Câmara “foi o primeiro a chegar-se à frente não só pela ampliação da pista do aeroporto da Horta, mas elaborando um estudo prévio que define como essa ampliação deve ser feita, mas também na luta pela implementação do projeto RISE, já em funcionamento, que reduziu drasticamente os cancelamentos por condições atmosféricas, na luta por mais e melhores ligações que satisfaçam as nossas necessidades”.
Na sua intervenção José Leonardo Silva não esqueceu os desafios que marcaram o mandato que agora terminou.
Para o  autarca “foram anos difíceis, com um desemprego elevado, com cortes nos orçamentos das câmaras, sem verbas comunitárias para fazer face, por exemplo, à reabilitação de estradas e com famílias e empresas fortemente penalizadas e em sérias dificuldades para fazer face às necessidades do seu dia-a-dia”.
Neste contexto, recordou que ele e a sua equipa nunca viraram “a cara aos problemas”, salientando que juntos trabalharam para seguir “uma linha estratégica” que “permitiu ultrapassar essas dificuldades e apresentar obra feita”, declarou.
“Criámos o fundo de emergência social, gerimos as contas da Câmara ao cêntimo, poupando todo o euro para investir, reforçámos os meios para intervir em estradas, criámos medidas de apoio às empresas e reduzimos a dívida da câmara em 44%”, revelou o candidato socialista, lembrando a este respeito que a autarquia fechou o ano de 2016 sem dívidas a fornecedores.
 “Hoje, a Câmara Municipal é um dos melhores pagadores da ilha do Faial e nossos empresários querem trabalhar com a Câmara Municipal”, reforçou.
Para José Leonardo, isto demonstra que nos últimos quatro anos esta candidatura cumpriu os compromissos assumidos. “Cumprimos os nossos compromissos, cumprimos o que dissemos às pessoas, gerimos bem a nossa câmara e, mesmo em período de dificuldade, fizemos obra e criámos novas oportunidades para o futuro”, defendeu.
José Leonardo Silva terá como principal adversário Carlos Ferreira, da coligação PSD/CDS, que se candidata pela primeira vez. 
Paula Decq Mota da CDU, Mário Moniz, do Bloco de Esquerda, e Hugo Rombeiro, do PAN, são os outros candidatos à presidência do município faialense.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO