Melhoria de rendimentos dos produtores de leite e manutenção das verbas do POSEI são prioridades para Vasco Cordeiro

0
4
DR/PS
DR/PS

O preço “baixo” do leite pago aos produtores nos Açores e a luta “acérrima” contra a redução de fundos europeus, estiveram em destaque nas visitas que o Presidente Vasco Cordeiro realizou este domingo, de manhã, em São Miguel. O Presidente do PS/Açores esteve numa exploração agrícola nos Arrifes e visitou o Posto de Leite das Arribanas onde falou sobre o setor com alguns produtores.

Vasco Cordeiro começou por salientar “a aposta concreta” que tem sido feita, nos últimos anos, em termos de melhorias nas explorações, ao nível dos caminhos, do abastecimento de água e de energia elétrica. Na legislatura que agora termina, “temos um crescimento de cerca de 80% do montante investido nesse tipo de infraestruturas, mas temos bem a consciência de que isso não é suficiente”, referiu.

Em declarações aos jornalistas, o líder socialista lembrou que “a produção média por exploração tem subido à volta dos 13%” e que o “volume de negócios da indústria também tem subido”, mas apesar dos vários indicadores positivos, assumiu que o PS não está satisfeito com o “facto do preço médio do leite pago ao produtor ter baixado cerca de 8%”.

Face a esta “preocupação muito concreta”, Vasco Cordeiro defende que é possível “criar condições para reforçar o rendimento, ou para ajudar a resolver a situação do preço médio do leite pago ao produtor”, seja através dos fundos comunitários e dos apoios que, desde logo, ao nível da União Europeia são disponibilizados, seja através da “promoção de produtos açorianos”.

Recordou, a título de exemplo, a campanha “de promoção dos produtos lácteos dos Açores”, desenvolvida no Canadá, pelo Centro do Leite e Lacticínios com a colaboração da Associação Agrícola de São Miguel, durante três anos. “Essa é uma das formas – e há um conjunto de outras formas -, incidindo nessa componente da valorização do produto, por forma a que o agricultor possa também ter leite melhor pago quando sai da exploração”.

Vasco Cordeiro garantiu, também, uma “defesa acérrima” e “intransigente” da manutenção de verbas do POSEI.  “Nós estamos ainda embrenhados nesta luta, porque não é compreensível que um instrumento que tem o objetivo que tem o POSEI possa ser reduzido”, numa alusão à proposta de redução de cerca de 3,9% no POSEI, que a Comissão Europeia admitiu há já algum tempo.

Não deixando de recordar o compromisso que o anterior Comissário Europeu, Phil Hogan, “assumiu aqui na Região” de manter as verbas do POSEI, o líder socialista reiterou que o Partido Socialista está determinado a “encetar uma defesa clara do POSEI, das verbas comunitárias”, a lutar contra essa redução, “seja enquanto partido, seja ao nível dos órgãos de poder em está representado – o Governo Regional e o Governo da República de encetar uma defesa clara do POSEI, das verbas comunitárias”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO