Mensagem do Município da Horta ao Jornal Tribuna das Ilhas

0
25
blank
Carlos Ferreira

CARLOS FERREIRA
Presidente da Câmara Municipal da Horta

Quando Johannes Gutenberg, em 1439, deu início à imprensa móvel, foi desde logo percetível o seu impacto social. A obra do inventor alemão tornou-se um meio poderoso de fazer política, marcando a Idade da Renascença. A imprensa tornou-se não apenas um instrumento de propaganda cultural ou de informação, entendido como um avanço tecnológico, como também um meio de inspirar as relações sociais, tendo até capacidade de provocar a guerra ou de contribuir para a paz, de criar desunião ou de promover a liberdade.

Edmund Burke em 1787, na abertura dos relatórios da imprensa na Câmara dos Comuns, usou pela primeira vez a expressão o quarto poder – Fourth Estate, para se referir ao domínio da comunicação social. Esta designação é recuperada pelo escritor Thomas Carlyle em meados do século XIX. Compara-se a influência da comunicação social com os pilares da democracia, que são os três poderes constitucionais: executivo, legislativo e judicial. Mas os poderes constitucionais são naturalmente aceites como poderes, estando, portanto, sob apreciação e regulamentação democrática.

O quarto poder exerce uma enorme influência crítica na opinião pública e na sociedade, mas condiciona a prática política: faz-se sentir no parlamento e nas praças. Pode, portanto, alterar tanto a forma de fazer política, de tomar decisões, como a forma de avaliar a política e o desempenho dos governantes. A sua enorme margem de manobra está associada à capacidade para fabricar opiniões.

Compreende-se assim que a comunicação social seja vista como uma arma poderosa, que pode persuadir, explorando um arsenal de técnicas argumentativas, manuseando factos e interesses.

No passado dia 19 de abril o jornal Tribuna das Ilhas fez 20 anos.

Nasceu de uma intenção de fundar um jornal semanário que, a par dos diários então existentes no concelho, pudesse ser um órgão de comunicação social mais vocacionado para o debate de ideias e dos problemas locais e regionais.

Com a entrada do novo Milénio, essa intenção começou a tomar forma e a conquistar um crescente número de adeptos, acabando por se transformar num projeto coletivo que culminou na formação da Cooperativa ”Informação, Animação e Intercâmbio Cultural”, CRL (IAIC). Constituída a IAIC, foi feita a respetiva matrícula na Conservatória do Registo Comercial da Horta, em 17 de outubro de 2001.

Em 19 de Abril de 2002 veio a público o primeiro número do Tribuna das Ilhas, sendo seu Diretor Mário Mesquita Frayão, que exerceu o cargo até 30 de junho de 2006, data em que o Presidente da IAIC, Manuel Cristiano Bem, passou a ocupar interinamente essas funções.
É o órgão de imprensa sedeado na Ilha do Faial com maior tiragem por edição, averbando também um considerável número de assinaturas para além das ilhas dos Açores, nomeadamente no Continente português e nas comunidades açorianas emigradas nos EUA e no Canadá, bem como em alguns países da União Europeia.

Além dos colaboradores que prestam apoio permanente ao Tribuna das Ilhas, o jornal evidencia a presença regular de um grupo de colunistas que abordam os mais variados temas de interesse político, social, cultural e artístico, acolhendo ainda outras colaborações eventuais de pessoas naturais e residentes nas ilhas ou radicadas em Portugal Continental, na América do Norte e no Brasil – uma circunstância que “lhe dá uma feição bem açoriana”, como já alguém afirmou.

O jornal Tribuna das Ilhas desempenha um papel fundamental na imprensa escrita da ilha do Faial. A decisão de criar uma edição digital e manter a publicação do jornal em papel revelou visão no que à primeira diz respeito e resiliência relativamente à segunda.

A completar 20 anos, com a certeza de que muitos mais virão, espera-se que o Tribuna das Ilhas seja eco dos valores do jornalismo, assentes na transparência, no rigor, na verdade dos factos e na isenção, assumindo-se como importante contributo para a coesão e desenvolvimento social e afirmação da história e identidade faialense.

O Município da Horta deseja neste dia ao Tribuna das Ilhas os maiores sucessos e continuação da atividade jornalística.