MÚMA volta ao Faial

0
10

A Associação cultural Música Vadia já apresentou a III Edição do MÚMA. Em 2017, o evento transfigura-se na forma e no tempo e ocupa a casa de espectáculos mais emblemática da cidade da Horta – o Teatro Faialense.
Com co-produção da CMH/UrbHorta, co-patrocínio da Direcção Regional da Juventude, apoio da SATA e Restaurante Canto da Doca, colaboração do Bar do CNH, Bar do Teatro, Tribuna das Ilhas e imagem do FAZENDO, o MUMA renasce na forma de festival, decorrendo nos dias 11,12 e 13 de Maio.
O evento apresenta um cartaz forte, representativo do que de melhor se faz na música Portuguesa – Samuel Úria e a banda que o acompanha são exemplo disso mesmo. E não são só as bandas mas também os djs como Luis Varatojo que vão assegurar noites inesquecíveis num recinto despido das cadeiras que costumam habitar o Teatro. Mas o espaço é maior e desagua na rua fronteira ao edifício, fechada ao trânsito, com dois bares disponíveis para promover o convívio entre as pessoas. Muitas pessoas. Todas as pessoas que não vão querer perder o evento que se vai tornar bandeira do panorama cultural da nossa ilha.
“O MUMA vai ser de todos e para todos e não há forma de lhe passar ao lado”, avisa já a organização.
A Associação Cultural Música Vadia (MV) foi constituída na Horta, a 18 de Março de2011, por um grupo de cidadãos residentes no Faial que se juntaram para promover amúsica ligeira e popular, a sua aprendizagem e a sua revisitação/reinvenção

PROGRAMA
Dia 11
Concerto Medeiros/Lucas, c/ banda (22h00)
Dia 12
Concerto Samuel Úria, c/ banda (22h30)
DJ Set Luis Varatojo
Dia 13
Concerto Selma Uamusse, c/banda (22h30)
DJ Set Rubi Tocha Dábaile

EP/Pulseiras para os 3 dias – 10€ (à venda a partir de dia 4 de Maio na bilheteira do TF ou no dia 11, no evento)
Pulseiras diárias – 5€ (à venda no evento)
“Acreditamos que nesta III edição, o MUMA vai tornar-se numa bandeira do panorama cultural da nossa ilha e que de agora em diante, vai ser impossível a que, esteja no Faial, passar-lhe ao lado”, refere a organização.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO