Património Cultural no Carnaval do Faial

0
7
TI

2018 celebra o Ano Internacional do Património Cultural, numa iniciativa promovida pela Comissão Europeia. Por todo o país se realizam ações de promoção do património através dos mais diversos modos.
Conforme divulgado no vídeo promocional da comemoração, “O Património está em toda a parte, em cada experiência, memória e em cada lugar,” cabendo-nos a nós descobri-lo todos os dias.
Nesse âmbito e num desafio lançado aos Conselhos executivos dos Estabelecimentos de ensino da ilha, adoptou-se o tema para a comemoração do desfile de Carnaval da Pequenada que contou com a parceria dos estabelecimentos de ensino e instituições do nosso concelho.
Sob o tema escolhido, Ano Europeu do Património Cultural, as escolas mostraram um dos factores que melhor caracterizam o Faial, os Açores e Portugal: o seu Património Cultural. Surgiram subtemas como o folclore e romarias, a baleação, o cultivo do milho e os bonecos feitos da sua casca, a vinha, os brinquedos dos avós, a emblemática Torre do Relógio, os moinhos de vento, a Ermida de São João, o Capote do Faial, entre tantos outros que demonstraram o real valor de eventos como este.
Este ano, em particular, podemos destacar a riqueza da transmissão do conhecimento cultural entre gerações, importante na atividade escolar, mas sobretudo importante na partilha de conhecimentos pessoais e preocupações dos alunos.
Para a obtenção dos bons resultados duma iniciativa deste tipo, é devido um reconhecimento aos professores e às professoras que se empenham, para que este evento seja um momento de convívio, de partilha coletiva, numa convivência saudável, demonstrando que o que realmente importa é a celebração de um dia diferente de animação e alegria.
Não podemos também esquecer a preciosa participação dos Pais e Encarregados de Educação que contribuem com a boa vontade e empenho para este evento, costurando, muitas vezes, levando materiais, fora de horas curriculares e em horário pós-laboral, juntamente com os professores, educadores e auxiliares.
Não podemos também esquecer, pela parte negativa, aqueles docentes que, mais ou menos justificadamente, privam os alunos das suas escolas de participarem consecutivamente em eventos desta natureza.
No entanto, e para todos os participantes, o que mais importou foi terem emprestado à cidade, nesse dia, um colorido e uma enchente de alegria e animação, por onde desfilaram mais de 1500 participantes.
Mantendo-se a comemoração do Património Cultural, realizou-se por toda a ilha neste Carnaval, um conjunto de Bailes e Assaltos, mantendo a tradição das fantasias, dos mascarados, mas também do convívio saudável entre todos os foliões, individuais, em grupo ou integrados em bailinhos como é o caso do Grupo etnográfico de Pedro Miguel que percorre a ilha a mostrar o bom trabalho, num ato de voluntariado dos responsáveis pela gestão das coletividades da ilha, procurando desta forma a obtenção de receitas, que contribuam para a saúde financeira das suas instituições, mas que ao mesmo tempo, mais ou menos conscientes, contribuem para a manutenção das nossas tradições, passando-as de geração em geração, contribuindo também para a comemoração do Ano Europeu do Património Cultural 2018.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO