Plano Integrado de Transportes – BE insiste na criação de passe social que integre transporte marítimo e terrestre no Triângulo

0
13
DR

O Bloco de Esquerda (BE) quer saber por que razão o Governo Regional ainda não criou o passe social intermodal nas ilhas do Triângulo.
Num comunicado enviado às redações, o BE refere que a medida estava prevista no Plano Integrado de Transportes e permite juntar os transportes coletivos marítimos e terrestres por um preço mais acessível.

O BE num comunicado enviado às redações no final da passada semana dá a conhecer que questionou o Governo acerca da criação de um passe social intermodal para as ilhas do triângulo, uma “medida que estava prevista no Plano Integrado de Transportes (PIT)”.
No entender do BE “a quantidade de passageiros que viajam entre as ilhas do triângulo justifica a criação do passe social, que permita o acesso a um plano coordenado que integre os transportes coletivos marítimos e terrestres, que garanta a articulação com os horários laborais e cujos custos de aquisição constituam uma poupança em relação aos preços atuais”.
O partido defende ainda que “com a criação do passe social intermodal a Região estará a promover a utilização de transportes coletivos – contribuindo para uma melhoria significativa na vida das pessoas que fazem a travessia entre as ilhas do triângulo – e a fomentar uma boa prática ambiental”.
No comunicado enviado ao parlamento açoriano o BE questiona a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas sobre as razões que levam a que a medida ainda não tenha sido implementada nas ilhas do triângulo, e se o “Governo Regional mantém a intenção de implementar esta modalidade de bilhete”.
Os deputados do BE perguntam ainda para quando está prevista a introdução do passe social de transporte terrestre por zona, cuja implementação também estava prevista no PIT, mas que ainda não foi implementada.
No seu entender, “o passe social por zona permitiria a utilização de diferentes carreiras numa determinada zona, em vez de um único circuito, como acontece atualmente. Esta seria também uma forma de incentivar a utilização de transportes públicos”, afirma o partido.
De acordo com o BE “a realidade demonstra que nos locais em que já foi instituída a oferta do passe social intermodal, este é definido como um título de transporte de insubstituível importância sócio-económica e como um inegável fator de justiça social”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO