Presidente do Governo saúda Azores Wine Company por inauguração de adega no Pico

0
40
DR/MM
DR/MM

O Presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, enalteceu a Azores Wine Company pelo lançamento da sua adega no Pico, um projeto de “criatividade, saber e coragem” que valoriza a ilha, os Açores e Portugal.

Para José Manuel Bolieiro, que falava na inauguração do espaço, é importante destacar a “dimensão do que está alcançado” pela empresa, mas sinalizar também a “esperança numa reforçada dimensão que daqui por diante se espera” para a mesma.

O Governo Regional esteve também representado na cerimónia pelo Scretário Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, António Ventura, pelo Secretário Regional dos Transportes, Turismo e Energia, Mário Mota Borges, e pelo Secretário Regional da Juventude, Qualificação Profissional e Emprego, Duarte Freitas, sinal do “envolvimento” que o Executivo coloca no sucesso do projeto.

No Pico, o “ponto mais alto de Portugal”, José Manuel Bolieiro lembrou o desígnio do XIII Governo Regional dos Açores em avançar na ilha o Instituto da Vinha e do Vinho dos Açores, sendo expetável a aprovação do mesmo em sede parlamentar após o período do verão.

“É um objetivo orgânico com a força simbólica do lugar, a ilha do Pico. Estamos a justificar o passado com ambição de futuro”, sublinhou, a propósito deste ponto.

O “resgate da história e tradições” dos Açores tem de ser aliado, advoga José Manuel Bolieiro, à “capacidade moderna” de afirmação da Região pela “excelência competitiva” de produtos e serviços.

O Presidente do Governo valorizou ainda o empreendedorismo privado na Região, declarando que o Executivo é apoiante de iniciativas como a da Azores Wine Company, que “enriquecem a sociedade e valorizam o território”.

“Há confiança por parte da política pública neste inspirador, que pode ser inspirador para muitos outros em diferentes áreas”, vincou.

José Manuel Bolieiro deixou ainda a garantir que o Conselho do Governo irá debater, a breve trecho, um conjunto de apoios ao setor da Agricultura, área que nunca parou com a pandemia de covid-19 mas que sofreu inevitáveis “impactos negativos”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO