PS com maioria absoluta na Câmara Municipal – Coligação PSD/CDS vence oito freguesias e com maioria na Assembleia Municipal

0
22
DR

O Partido Socialista venceu as eleições na ilha do Faial para a Câmara Municipal da Horta, tendo perdido a Assembleia Municipal para a Coligação PSD/CDS-PP, a qual venceu também oito das treze Juntas de Freguesia da Ilha.

O Partido Socialista de José Leonardo foi o vencedor das eleições autárquicas na ilha do Faial para a Câmara Municipal. No final da noite eleitoral somou 3.872 votos, o que correspondeu a uma percentagem de 47,08%, contra 3.521 votos (42,81%) da Coligação PSD/CDS-PP, de Carlos Ferreira. Assim, o PS irá ter 4 mandatos na Câmara Municipal enquanto a Coligação terá 3 mandatos.
A CDU de Paula Decq Mota obteve um resultado semelhante com o que teve há quatro anos, totalizando 394 votos e uma percentagem de 4.79%, não conseguindo nenhum mandato. O PAN de Hugo Rombeiro assume-se como a quarta força politica a nível local, tendo recebido 151 votos (1,84%). Mário Moniz e o Bloco de Esquerda foram os grandes derrotados destas eleições, baixando significativamente o seu score eleitoral de 303 votos obtidos há quatro anos para apenas 120 votos (1,46%).
O valor da abstenção cifrou-se em 36,84%, o que correspondeu a uma redução de 2,22% comparativamente com o valor de há quatro anos e a mais 200 votantes.
Para o outro órgão autárquico, Assembleia Municipal, o grande vencedor foi a Coligação PSD/CDS-PP, aqui liderada por Teresa Ribeiro, que obteve 10 mandatos com um total de 3.512 votos (42,70%), enquanto o PS de Hélder Silva somou apenas 3.278 votos e 9 mandatos, perdendo 2 deputados municipais relativamente às eleições de há quatro anos.
Quem perdeu também 1 deputado municipal foi a CDU que agora ficou reduzida a José Decq Mota. A CDU conseguiu 649 votos (7,89%), menos 55 votos do que há quatro anos.
A surpresa da noite veio de Regina Santos, do PAN, que foi eleita deputada municipal com um total de 392 votos (4,77%), relegando o Bloco de Esquerda para uma votação de 156 votos, o que correspondeu a uma perda de 172 votos em relação à eleição de 2013.
Quanto às eleições para as Assembleias de Freguesia do concelho, as freguesias do Capelo, Conceição, Praia do Almoxarife, Ribeirinha e Castelo Branco mantiveram-se em mãos socialistas, enquanto a Coligação PDS/CDS-PP conquistou as restantes oito freguesias.
Os grandes destaques vão por inteiro para a freguesia dos Flamengos, em que José “Zeca” Amaralda Coligação PSD/CDS-PP conseguiu destronar Carlos Rita do PS, vencendo neste bastião socialista com 459 votos (50,22%) contra 398 votos (43,54%), para a freguesia das Angústias em que José Bagaço terminou com a hegemonia socialista, ganhando com uns expressivos 562 votos (48,20%), enquanto o PS de Luis Costa obteve apenas 436 votos (37,39%), para a freguesia de Pedro Miguel em que José da Terra Carlos recupera a presidência da junta para o PSD/CDS-PP e para a freguesia da Matriz, onde Laurénio Tavares regressa e volta a ganhar confortavelmente.
A noite eleitoral deste domingo ditou a reeleição do candidato do Partido Socialista (PS), José Leonardo Silva na Câmara Municipal da Horta.

José Leonardo Silva reeleito “presidente de todos os Faialenses”

Tribuna das Ilhas foi ao encontro do candidato, na sede de campanha após os resultados das eleições. Rodeado por centenas de militantes a festejar a vitória, José Leonardo encontrava-se visivelmente satisfeito.
“O que eu esperava era ganhar a Câmara Municipal por maioria. Foi isso que aconteceu mesmo perante um clima muito desfavorável ao PS, como todos sabem”, afirmou José Leonardo Silva.
O candidato garantiu que vai manter o lema da sua campanha “lealdade e compromisso”, neste mandato. “Hoje fui eleito o presidente de todos os faialenses, vou trabalhar com todos na solução de problemas e espero que as pessoas me acompanhem nesta solução”, disse, reforçando que “a postura da Câmara Municipal vai ser sempre a mesma. Vamos ter uma postura aberta ao diálogo e à participação, com a promessa de que iremos cumprir o nosso programa eleitoral”.
José Leonardo Silva agradeceu a todos aqueles que o acompanharam nesta campanha e acreditaram no seu projeto. “As minhas primeiras palavras são para os candidatos que não conseguiram vencer estas eleições mas que deram um forte contributo, que acreditaram no projeto, que deram o seu máximo pela ilha do Faial”.
O presidente agradeceu também ao candidato à Assembleia Municipal e aos faialenses que depositaram o seu voto de confiança na sua equipa. “Os faialenses acreditaram na nossa palavra. Queríamos ganhar por muito mais é verdade mas por um voto se ganha por um voto se perde o que é importante é esta vitória do PS à Câmara Municipal que vai continuar a gerir esta ilha no sentido do seu desenvolvimento”, avançou.
No que se refere à campanha, o autarca sustentou que “a nossa campanha foi feita no princípio da verdade de explicar aos faialenses o nosso trabalho e aquilo que fizemos ao longo destes quatro anos, por isso, não havia nenhuma razão para nós não ganharmos estas eleições”, referiu.
Para José Leonardo “esta vitória foi uma vitória do PS mas foi também uma vitória de muitos independentes que tiveram connosco durante este tempo”. “Ninguém ganha nada sozinho e estas eleições não foram ganhas por mim, foram ganhas por todos vós porque é assim que nós construímos os Açores”, salientou.
A finalizar o candidato afirmou estar muito satisfeito com o trabalho realizado no seu primeiro mandato à Câmara Municipal e prometeu com a sua equipa defender os faialenses. “Tenho muito orgulho em ser faialense e tenho muita honra em ter defendido os faialenses por isso vou continuar a defender os faialenses nos próximos quatro anos. É com este princípio de construir uma grande equipa para a Câmara Municipal que me irei disponibilizar no próximo mandato”, frisou.

Carlos Ferreira satisfeito com a vitória na Assembleia Municipal

No passado dia 1 de outubro, o candidato à presidência da Câmara da Coligação PSD/CDS-PP/PPM afirmou que apesar de não ter conseguido a “cereja no topo do bolo”, a presidência da Câmara Municipal, a Coligação conseguiu alcançar “resultados muito bons”.
“Conseguimos aumentar de forma significativa a nossa votação, temos uma nova presidente da Assembleia Municipal da Horta, temos oito presidentes de Junta de Freguesia e temos um novo quadro político na ilha do Faial”, disse Carlos Ferreira ao Tribuna das Ilhas numa reação aos resultados das eleições Autárquicas 2017.
O cabeça de lista da coligação “Acreditar no Faial” agradeceu a todos os candidatos “que aceitaram dar o corpo a este projeto e com quem fizemos esta caminhada” juntamente “com os faialenses que se juntaram a nós e acabaram por nos dar a sua confiança”, sustentou.
Ferreira congratulou todos os vencedores, elogiou todas as candidaturas e deixou uma palavra de “apoio fidedigno” aos candidatos da Coligação que não venceram as eleições, mas que “nos deram uma grande lição de humildade”, reconhecendo que não é fácil em algumas freguesias isso acontecer visto que “é muitas vezes difícil ter pessoas para participar”, defendendo no entanto “que a ilha está a mudar”.
O candidato espera que esta mudança traga, nos próximos anos, novas vitórias para a Coligação. “Daqui a quatro anos, quem sabe, venceremos mais Juntas de Freguesia, venceremos a Assembleia Municipal e, se os faialenses quiserem, venceremos a Câmara Municipal da Horta”, afirmou.
Em resposta à vitória de José Leonardo, Carlos Ferreira felicitou o reeleito Presidente da Câmara e com “humildade democrática” prometeu que a Coligação vai “exercer os mandatos que os nossos eleitores nos conferiram para defender o Faial e promover o seu desenvolvimento”, assim como, “honrar os votos dos faialenses”.

Rui Martins elogia candidatos da Coligação “Acreditar no Faial”

No seu discurso após as eleições no passado domingo, o responsável pelo CDS-PP/Faial, Rui Martins, começou por afirmar que “nunca encararam isto (as eleições) como uma luta partidária, pelo contrário, olharam sempre para as pessoas e para as suas necessidades”por este motivo agradeceu a Carlos Ferreira pela sua candidatura e da Coligação “Acreditar no Faial”.
Na ocasião, o presidente da Comissão política do CDS-PP, considerou Carlos Ferreira como “o melhor candidato que se apresentou nestas eleições” e salientou que “a Coligação o apoia, acredita nele e sabe que ele continuará a fazer um excelente trabalho”.
“Vai continuar a defender o Faial e o interesse dos faialenses enquanto Vereador da Câmara Municipal e deputado”, disse.
Do mesmo modo, Rui Martins deu uma palavra de agradecimento e de coragem a Teresa Ribeiro, que no passado domingo foi eleita pelos faialenses presidente da Assembleia Municipal. “Vai ter um trabalho excepcional porque vai deliberar, na verdade, aquilo que será a defesa dos faialenses no futuro e nos próximos quatro anos”, sustentou.
A terminar, o responsável pelo CDS-PP/Faial declarou que em resposta ao sinal dos faialenses “pretendem que a Assembleia seja, verdadeiramente, uma ordem fiscalizadora desta Câmara Municipal”, de acordo com Rui Martins “os 18 elementos da Coligação presentes na Assembleia vão trabalhar para que os projetos que interessam a todos os faialenses, e não só alguns, vão adiante e que as decisões sejam, efetivamente, mais plurais”, concluiu.

Paula Decq Mota lamenta maioria absoluta na CMH e AM

A candidata da CDU à Câmara Municipal da Horta lamentou, numa reação aos resultados das eleições Autárquicas no Faial, a conquista da maioria absoluta por parte do Partido Socialista na corrida à Câmara Municipal e do Partido Social Democrata na Assembleia Municipal, admitindo que os resultados eleitorais “ ficaram aquém das expectativas”.
“Os resultados ficaram aquém das nossas expectativas quer na Câmara Municipal quer na Assembleia Municipal”, afirmou ao Tribuna das Ilhas na noite de domingo, na sede de campanha a candidata, destacando que “em relação às Juntas de Freguesia conseguimos dois eleitos embora não seja em órgãos executivos mas apenas em Assembleias de freguesia”.
Para Paula Decq Mota com estes resultados “o Faial ficou a perder”. O facto de dois partidos terem obtido a maioria absoluta, pode no entender da candidata “tornar até o concelho ingovernável”, considerou.
“Pensamos que a democracia fica a perder, o Faial fica a perder com esta falta de representatividade”, reforçou.
Apesar da CDU manter um deputado na AM e este órgão até ter ganho a representação de mais um partido, nomeadamente do PAN, para a candidata “servirá muito pouco as vozes dos partidos mais pequenos”, defendendo que “para o bem do Faial teria sido necessário haver mais eleitos de outros partidos”.
Com o mote “Respeitar e Desenvolver o Faial”, a CDU/Faial nestas eleições apresentou candidatura a 11 freguesias, e contou com a participação de 150 candidatos.

Bloco de Esquerda “aceita”decisão do povo

Ao Tribuna das Ilhas, o candidato do Bloco de Esquerda (BE) à Câmara Municipal da Horta afirmou aceitar “o veredicto do povo que é quem manda quando vai às urnas”.
Numa declaração após os resultados eleitorais, Mário Moniz referiu que apesar da continuação da presidência da Câmara no Partido Socialista, “passa a haver cores distintas na autarquia e na Assembleia Municipal” e “um maior controlo sobre o que a Câmara possa, eventualmente, fazer”.
O cabeça de lista do BE salientou, ainda, que “esta situação já era esperada atendendo que as pessoas não estariam muito seguras na inexperiência do candidato da Coligação”. Sobre a votação e a perda de votos, Mário Moniz lamenta que em “situações em que há um grande apelo aos votos, quem sofre são os partidos como BE”, acrescentando “que já contava com a redução no número de votos”, reconhecendo que o partido “ainda não tem a nível autárquico a estrutura que têm as outras forças políticas”.
O candidato espera que o Bloco de Esquerda “crie, a nível nacional, uma conjuntura diferente” para que, consequentemente, consiga alcançar “uma situação diferente no Faial e no arquipélago”.

PAN satisfeito com com eleição de deputado na AM

O cabeça de lista do PAN – Pessoas, Animais e Natureza mostrou-se satisfeito com o resultado das eleições Autárquicas de domingo e com a eleição de um deputado para a Assembleia Municipal (AM).
Em declaração ao Tribuna das ilhas, Hugo Rombeiro começou por agradecer às pessoas que acreditaram na sua candidatura. “Agradecemos às 392 pessoas que confiaram em nós e depositaram o seu voto para defendermos as causas que apresentamos na campanha eleitoral”.
Segundo o candidato estes resultados não representam uma vitória, pois para o PAN “as vitórias são todas as 55 medidas que constam no programa eleitoral e que queremos ver aplicadas. É nesse sentido que vamos trabalhar”, prometeu.
De acordo com o Hugo Rombeiro, a ideia do PAN é “apresentar propostas concretas e propostas possíveis de realizar com pouco financiamento. É essa a postura que vamos ter nos próximos 4 anos”, garantiu.
“Na Assembleia Municipal existem formas de nós manifestarmos a nossa posição e as nossas ideias, através de votos de protesto, recomendação e até as próprias propostas. O que queremos é entrar em consenso com todos os partidos de forma a aplicar as nossas medidas”, afirmou o candidato do PAN.
Esta foi a primeira vez que o PAN se candidatou com listas próprias, à Câmara e Assembleia Municipal da Horta. A candidatura à Câmara Municipal da Horta era composta por 15 elementos e foi encabeçada por Hugo Rombeiro. Na corrida à Assembleia Municipal, a principal aposta do partido, recaiu sobre Regina Santos. A candidatura do PAN “Resgatar as nossas Origens”, na AM tinha como base fazer “crescer o debate” naquele órgão através da apresentação de temas fulcrais para o futuro das gerações actuais e futuras.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO