REVIVENDO…

0
29
TI

TI

A personalidade é o João Carlos Fraga.

Lendo o Tribuna Das Ilhas, jornal que assinamos desde o seu nascimento e que continuamos a considerar, saltou-nos à memória reflectiva, a pessoa gentil dura particular e jovial amigo, que partiu para a Eternidade precocemente e que se dá pelo nome de Carlos Fraga, o homem dos iates.
Conhecemo-lo desde menino, pois eramos de relacionamento afável com seus progenitores, particularmente do seu pai, um cidadão marcante, socialmente reconhecido, ligado ao clube da nossa predilecçao e um cavalheiro que marcou assinalável posição no nosso ambiente hortense.
O João Carlos Fraga, tornou-se nosso  conhecido especial praticamente por causa de uma forte ligação ousada esclarecida e generosa, à nossa “marina”, e mais propriamente aos “aventureiros”, designação que, ao tempo dávamos, aos iates que demandavam a nossa baía, cujas tripulações confraternizavam assiduamente com ele.
O nosso amigo João Fraga era um funcinário dedicado e respeitável da Companhia Aérea Açoriana, contudo a sua particular condição de apoiante incondicional dos “aventureiros” que escalavam ao porto da Horta, depressa e vigorosamente se impôs no nosso panorama específico da baía, certamente, desde sempre procurada e reconhecida como destino privilegiado dos iatistas.
O seu convívio com estas gentes de tantas nacionalidades e a frequência com que era visto a confraternizar nas melhores e respeitáveis “mesas” do Café Sport propriedade do mundialmente conhecido “Peter” de nome José Azevedo, tornaram-no uma figura ímpar na vivência normal da nossa cidade mar.
Não Vivemos na sorridente cidade da Horta à várias décadas, mas sentimos os seus directos anseios e por essas específicas razões, entendemos que já era tempo de dotar a nossa concorrida e apreciada “marina” dum memorial, recordando tão prestável e distinguido cidadão.