Saco de praia

0
27
Rute Lacerda

Por: Rute Lacerda

Seria o tempo da silly season, não fosse esta realidade de há ano e meio e as campanhas que se iniciam, que tentam arrancar das grelhas noticiosas as últimas sobre Tribunais e Parlamentos, que já não param como noutros tempos. Abrimos jornais, revistas ou ligamos a televisão e não vemos as famosas idas a banhos dos nossos representantes. Vemos sim, todos os dias, covid-19, campanha, vacinas, campanha, um pouco de Jogos Olímpicos e mais campanha, numa espécie de nova categoria da “estação palerma” ou “buraco de verão”, como lhe chamavam os alemães.
***
No meio de tanta contenção e mudança há determinadas vivências, reuniões familiares, festividades e formas de viver e aproveitar o verão que fazem muita falta neste “querido mês de agosto”. Estaríamos hoje a entrar na reta final da Semana do Mar, o maior festival náutico dos Açores e a maior festa popular da nossa ilha, mas a saúde pública está em primeiro lugar e vamos ter que esperar um pouco mais para esse tipo de folias, ressalvando o desporto náutico que está garantido.
É tempo de ir a banhos na praia, mas também essa está condicionada nem tanto pela pandemia, mas pela presença de bactérias indesejáveis.
É a época alta de casamentos, batizados e demais festas de família, mas alto lá e para o baile, que vimos há pouco em ilha vizinha que a boda pode dar para o torto e fazer disparar os números de casos positivos na região.
Também é altura de receber os nossos “calafonas”, que chegam às “pingas”, dado os condicionalismos inerentes à pandemia.
***
Por outro lado, observamos situações bastante positivas: temos turistas aos molhos, o que é muito bom para os nossos empresários do setor do turismo e para a nossa economia local. Alojamentos e rent-a-car lotados e a restauração a virar-se como pode na sua oferta a quem nos visita. Há vida e caras novas na cidade, o que constitui uma excelente oportunidade para divulgarmos, mostrarmos e darmos a provar o melhor da nossa terra.
***

Temos também as já esperadas e típicas trocas de galhardetes entre elementos integrantes das listas concorrentes às eleições autárquicas, a sua criatividades, empenho e genialidade nas redes, ou não.
***
Nada de novo, portanto, o que nos leva a concluir, que estamos, de facto, em plena época de notícias frívolas. É tempo de descanso, diversão e muitas leituras. É tempo de aproveitar o bom tempo para mergulhos e passeios. Que seja um bom mês de agosto! g

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO