SESSÃO PLENÁRIA DE JULHO – Conta da Região em 2014 representa esforço de 40 anos de uma autonomia responsável

0
16

Estas foram as palavras escolhidas por Sérgio Ávila, Vice-Presidente do Governo dos Açores, após a aprovação da proposta da Conta da Região Autónoma dos Açores do ano de 2014, no primeiro dia de trabalhos da sessão plenária de julho que esta a decorrer esta semana na Horta. Na ocasião o Vice-Presidente rejeitou as críticas da oposição à Conta da Região de 2014, lembrando que o Tribunal de Contas emitiu um parecer favorável, acrescentando, a este respeito, que essas críticas “desmerecem o esforço dos Açorianos” no combate à crise internacional e nacional que impôs grandes dificuldades à Região, a qual resistiu sem abdicar das suas próprias políticas. Segundo o governante “para a História ficará esta nossa pequena região como o único exemplo de como foi possível manter, numa parte do território nacional, a solidez das finanças públicas e a nossa Autonomia, sem necessidade de resgates, da imposição de programas de ajustamento orçamental, nem de medidas restritivas próprias”. “Este é um património que é só nosso, que é de todos os Açorianos e de mais ninguém”, frisou Sérgio Ávila, sublinhando que “o esforço de 40 anos, dos Açorianos, na construção de uma autonomia responsável” não deve ser colocado em causa por razões de mera conjuntura política, reforçou. Na sua intervenção em plenário o Vice-Presidente do Governo sublinhou ter ficado demonstrado ser “possível manter as contas públicas saudáveis sem fazer tábua rasa das políticas de apoio social, de apoio ao rendimento das famílias e das empresas e de manutenção, e mesmo reforço, dos níveis de investimento público”. Sérgio Ávila frisou ainda que 2014 foi o ano “em que se iniciou a trajetória de recuperação económica dos Açores, a qual se consolidou em 2015” e recordou que, desde 2013, os Açores “deixaram de ter qualquer impacto percentual no défice do país”, salientando que isso “deve orgulhar todos os Açorianos que gostam da sua terra e a defendem”. Para o Vice-Presidente do Governo, se 2014 já indiciava uma recuperação dos efeitos da crise nacional e internacional, o ano de 2015 “foi ainda melhor, tendo-se caraterizado, de acordo com os indicadores estatísticos conhecidos, por uma clara retoma da atividade económica e da criação de emprego”, concluiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!