Terceira – PSD quer empresas a aproveitar o conhecimento científico produzido na UAç

0
11

O PSD/Terceira defendeu hoje que o próximo governo regional, “sob a liderança do PSD, incentive a cooperação entre as empresas e a Universidade dos Açores (UAç), com vista a incluir os conhecimentos científicas da academia, no âmbito dos agroalimentos”.

Rui Espínola, vice-presidente da estrutura local dos social democratas entende que é fundamental “as empresas encontrarem na UAç o parceiro primordial para a inovação, para a produção, para a criação e comercialização de novos produtos com valor acrescentado que possam gerar riqueza e emprego”, disse.

“Assim, é fundamental que o próximo governo dos Açores seja um elo de ligação entre as empresas e a UAç, criando plataformas de entendimento e mecanismos facilitadores da disponibilização do seu conhecimento científico às empresas da Região”, explicou.

Segundo o social democrata, a Faculdade de Ciências Agrárias e do Ambiente da Universidade dos Açores, sediada em Angra do Heroísmo, “pode contribuir para uma maior e melhor produção de agroalimentos, pois tem conhecimento científico adquirido, capacidade instalada e recursos humanos e técnicos qualificados para o efeito”.

“É necessário e importante aproveitar esse conhecimento, colocando-o ao serviço da produção, dos nossos empresários e da nossa indústria”, referiu.

Rui Espínola aponta mesmo “a uma redução do nível de importação de variadíssimos produtos agroalimentares, quando está comprovado que temos capacidade para os produzir com qualidade e comercializá-los no mercado interno, reduzindo a dependência do exterior”, acrescenta.

“Defendemos uma estratégia de compromisso com a criação de riqueza, emprego e autossustentabilidade alimentar dos Açores, e para isso temos de aumentar a produção de agroalimentos em termos quantitativos e qualitativos, abastecendo o mercado interno, mas também criando produtos de valor acrescentado, capazes de competir com sucesso no mercado externo”, disse ainda o vice-presidente do PSD/Terceira.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO