Tiago Silva solicita explicações ao vice-presidente da CMH

0
74
TI

TI

PUBLICA-SE NA INTEGRA EMAIL REMETIDO PELO NOSSO COLABORADOR TIAGO SIMÕES DA SILVA AO VICE-PRESIDENTE DA CMH
 
“Foi com bastante estranheza que vi esta manhã na comunicação social uma reacção sua ao que chama de “oportunismo político” e “falta de cultura democrática” do candidato Carlos Ferreira, por este ter referido em conferência de imprensa a denúncia que fiz publicamente acerca da censura de que fui alvo por parte da CMH.
Estranho (e só não fico ofendido porque de quem vem nem ofensa me merece) porque, tendo sido eu a fazer a denúncia, me sinto também visado nas suas palavras. O que quer V. Ex.a dizer, que sou um oportunista? É isso que o seu partido chama aos cidadãos que exercem a sua cidadania? Ou será por eu ser, como diz o Sr. Presidente, “apoiante da candidatura adversária”? Talvez… Realmente anda muita gente a aplaudir obra camarária, muitos com perfis falsos e sem darem a cara, outros até sendo mal-educados e insultando outros cidadãos, e até hoje está lá tudo, só eu (que se saiba…) fui censurado.
Então e o que chama V. Ex.a a uma câmara que ignora os seus cidadãos? Que os desrespeita? Que recebe dezenas de mails (como já recebeu meus) e não responde a nenhum? E depois vem publicamente falar de “cidadania” e “proximidade”, de “lealdade” e de “compromisso”? Se não é falta de cultura democrática é o quê? Em meu entender é, no mínimo, hipocrisia.
E oportunismo político, se permite a minha modesta opinião, é haver denúncias relacionadas com uma autarquia e o seu vice-presidente vir a público responder-lhes não na qualidade de membro da vereação mas de secretário coordenador de ilha do partido a que pertence, aproveitando a sua posição para capitalizar politicamente a questão.
E, no meio disso, não posso deixar de estranhar mais ainda o facto de vir publicamente afirmar que quanto à questão da censura de que fui vítima “está a decorrer um processo interno de averiguações”, quando até hoje não tive qualquer palavra por parte da Câmara Municipal e continuo bloqueado, o que considero ser, no mínimo, uma tremenda falta de respeito.
Também acho estranho que alguém que usa o seu espaço de crónica no jornal para fazer propaganda aos feitos dos seus colegas de bancada (e aos seus próprios) venha com toda a calma acusar outros de usar esse espaço para exercer a sua cidadania e, mais uma vez, senti-me visado enquanto cidadão que também escreve para a comunicação social sobre estes temas.
Continuo à espera de um esclarecimento quanto a este assunto e informo que estou a averiguar quais os procedimentos que posso tomar relativamente ao mesmo, porquanto ele represente uma grave infracção à lei fundamental do nosso país.
Mais informo que esta mensagem será tornada pública, pois considero que os contornos desta questão já excederam todos os limites do aceitável e que os faialenses têm direito de acompanhar a situação, mais ainda depois de V. Ex.a ter vindo mais uma vez a público tentar descredibilizar denúncias feitas à acção da autarquia, isso sim numa atitude de pura demagogia, de falta de cultura democrática e de instrumentalização política”.
 
Com os melhores cumprimentos,
Sem qualquer esperança de resposta,
 
Tiago Simões da Silva