Vasco Cordeiro defende o aprofundamento do papel dos poderes locais e regionais nos processos de decisão Europeus

0
28
blank
Vasco Cordeiro cimeira

O 1º Vice-Presidente do Comité das Regiões da União Europeia, Vasco Cordeiro, defendeu, esta sexta-feira, em Marselha, o “aprofundamento do papel dos poderes locais e regionais nos processos de decisão europeus”, por considerar ser, “também, desta forma que se fortalece a Democracia”.

Participando na 9ª Cimeira Europeia das Regiões e dos Municípios e intervindo na sessão plenária sobre ‘A construção da Casa da Democracia Europeia’, Vasco Cordeiro defendeu que as autoridades locais e regionais da Europa “têm uma legitimidade democrática igual, na sua natureza, à legitimidade democrática de que usufruem os governos nacionais e as próprias instituições Europeias”, devendo essa importância “ser reconhecida”.

“Nós precisamos de aprofundar a forma como os poderes locais e regionais na Europa participam, não apenas na implementação das decisões que a Europa toma, mas no próprio processo de decisão que Europa tem”, advogando ser por aí “que passa o fortalecimento da Democracia”.

Vasco Cordeiro defendeu que “o valor fundamental da Democracia não pode ser dado por garantido”, por entender que a qualquer momento “podemos ser confrontados com uma agressão que nega esse valor”, referindo-se ao conflito a que assistimos na Ucrânia e salientando que este deve ser “uma lição para os responsáveis políticos por toda a Europa, quanto ao carinho e ao cuidado que devem ter com o exercício da Democracia”.

O 1º Vice-Presidente do Comité das Regiões da União Europeia alertou, ainda, para a “fragilidade do valor democrático, quando os cidadãos europeus optam por não participar em atos eleitorais”.

Vasco Cordeiro ressalvou que a construção da Democracia na Europa tem, naturalmente, a ver com a conferência sobre ‘O Futuro da Europa’.

“Não pode haver assuntos tabu num movimento desta natureza, em benefício e salvaguarda da confiança dos cidadãos Europeus neste processo, é preciso reafirmar o necessário papel das autoridades locais e regionais por toda a Europa”, finalizou o 1º Vice-Presidente do Comité das Regiões da União Europeia, Vasco Cordeiro.