Vasco Cordeiro defende Serviço Regional de Saúde definido pela Região

0
7

Vasco Cordeiro, candidato socialista a presidente do Governo Regional dos Açores visitou ao início da tarde de terça-feira as obras do bloco c do Hospital da Horta, uma obra de 11 milhões de euros há alguns anos reclamada para a ilha do Faial e cujo prazo de conclusão está marcado para Abril de 2013. 

No final da visita às futuras instalações do Serviço de Obstetrícia, de Ginecologia, Bloco de Partos, Serviço de Pediatria e Serviço de Fisiatria, Vasco Cordeiro disse aos jornalistas “ser fundamental  que seja o Governo dos Açores a definir a forma como o Serviço Regional de Saúde serve os Açorianos de todas as ilhas.”
Cordeiro defendeu que a Região tem que  “assegurar que continue a ser o Governo dos Açores a ter e proximidade e sensibilidade para decidir quais são os investimentos e os serviços que mais servem as nossas populações”, pelo que “temos de relevar a necessidade de sermos nós, aqui nos Açores, a decidir em que medida e que de forma o Serviço Regional de Saúde serve as populações”.

O candidato do PS Açores recusou, na ocasião, qualquer proposta de passar para o Governo de Lisboa a gestão do Serviço Regional de Saúde. 
Sendo a saúde uma das suas bandeiras de campanha, Cordeiro disse aos jornalistas que “este investimento não vale só por si, vale pela melhoria das condições em que o nosso Serviço Regional de Saúde serve a população”, acrescentando que “as entidades públicas devem garantir o acesso de todos os Açorianos aos cuidados de saúde e um Governo liderado por mim, se os Açorianos me derem a sua confiança, cumprirá em absoluto este princípio”, concluiu Vasco Cordeiro. 

Recorde-se que esta obra congrega dois empreendimentos distintos, sendo um resultado do compromisso assumido pelo Governo Regional para a reconstrução do imóvel danificado pelo sismo e realojamento dos serviços que o integram. O segundo, é resultante da oportunidade de ampliação do hospital de modo a adequá-lo às exigências actuais e integrará a ampliação da Consulta Externa, a ampliação do Internamento e o Realojamento  do Serviço de Medicina Hiperbárica, espaços considerados essenciais na evolução das capacidades e operacionalidade do hospital.

 

 

 

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO