Voto perpétuo cumprido pelo município

0
6

O Império dos Nobres, um dos mais antigos do Faial e dos Açores, voltou a abrir portas para o cumprimento do secular voto de Pentecoste.

A bênção das esmolas, massa sovada e carne, decorreu na manhã de 22 maio pela mão do ouvidor da Horta e pároco da freguesia da Matriz, o padre Marco Luciano. O presidente da Câmara Municipal da Horta esteve presente, juntamente com os vereadores do seu executivo.

As esmolas, entregues de forma simbólica à Casa de Infância de Santo António e à Santa Casa da Misericórdia da Horta, ambas Instituições de Solidariedade Social, serão distribuídas a dez famílias com necessidades financeiras em cada uma das 13 freguesias do concelho da Horta.

Após da cerimónia José Leonardo Silva lembrou o legado dos nossos antepassados presente nesta promessa que dura “enquanto o mundo seja mundo” e o esforço do munício para que este se prolongue no tempo.

As celebrações deste império do Divino Espírito Santo continuam no domingo,24 de maio, com a saída da procissão do Império dos Nobres em direção à igreja Matriz do Santíssimo Salvador da Horta pelas 09h45, com posterior celebração litúrgica. Como manda a tradição o presidente da CMH será coroado.

Após a missa, o cortejo segue de volta ao império para bênção e distribuição de massa sovada.

 O Voto de Pentecostes

24 de abril de 1672. Este foi o primeiro ano em que foi  feito o voto perpétuo de Pentecoste, dia da eclosão do vulcão do Cabeço do Fogo, situado entre a Praia do Norte e o Capelo, a ser cumprido se a erupção parasse.

Ao que se lê nos “Anais do Município da Horta”, a edilidade deliberou na época “que em dia do Senhor Espírito Santo todos os anos e enquanto o mundo durar, sairá uma procissão solene ordenada pelos ditos oficiais da Câmara, da Igreja Matriz desta vila e se recolherá na Igreja da Misericórdia onde se cantará missa com sermão, a que assistirá o corpo da Câmara, fazendo-se gasto e despesa à custa dela em ação de graças”.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO