A Aura dos vencedores

0
21
TI

Em plena campanha eleitoral para as eleições autárquicas trazemos à estampa dois craques do mundo do futebol que têm como berço de nascimento a cidade da Horta. Pode parecer estranho ao leitor a opção que damos neste jornal aos feitos de dois faialenses, de dois homens com letra maiúscula, que saíram da sua terra e singraram além-fronteiras, em detrimento do andamento da campanha eleitoral.

Mas para nós não o é.
Procuramos sempre, desde o primeiro minuto, ontem e hoje, evidenciar os feitos dos nossos filhos da terra, quer seja o primeiro açoriano a vestir a camisola das quinas, ou o faialense que enche o campo com os seus dribles fantásticos e livres teleguiados.
Ou ainda aquele que cometeu o feito, singular e único, de ter sido o primeiro presidente eleito da República Portuguesa.
Joaquim Teixeira “Semilhas”, Iuri Medeiros e Manuel de Arriaga, são apenas três dos exemplos a seguir, que nos elevam o ego e que importa enaltecer. Sobre eles assenta a aura de vencedores e toda a dedicação que lhes permitiu distinguirem-se entre os seus pares, cada qual na sua época, tanto no desporto rei, como na política.
São estes os nossos campeões, onde a humildade, o trabalho, a tenacidade e a perseverança constituíram os seus pilares estruturantes e as suas palavras de ordem.
Deverão ser também estes os princípios que devem nortear todas as candidaturas que se apresentam agora a mais um sufrágio local. É importante que exponham aos cidadãos da ilha os seus programas eleitorais, as suas medidas, antigas ou novas, enriquecendo o debate público e politico de forma séria e honesta, mas que, independentemente, da cor ou crença partidária, tenham como orientação última o desenvolvimento e o progresso económico da ilha do Faial.
A vivência cada vez mais inclusa numa sociedade onde o acesso à informação é em tempo real e se reduz a um simples click ou à abertura de uma app, impõe que todas as propostas, promessas ou ideias, como se queira chamar, trazidas à tona e colocadas em cada caixa do correio ou entregues em mão ao cidadão pelos partidos políticos concorrentes às eleições autárquicas do dia 01 de outubro, sejam exequíveis e passiveis de pôr em prática.
Todos, mas mesmo todos, sem exceção, são importantes na construção de um futuro mais risonho, seja acreditando no Faial, seja com lealdade e compromisso ou apenas com respeito para desenvolver o Faial.
Isto porque o futuro da nossa ilha, dos nossos filhos está mesmo ali. Depende de nós, só temos que o agarrar, criando estratégias e visões que imponham e exijam melhores acessibilidades em primeiro lugar. Basta olhar com cuidado para os números recentemente emitidos por entidades oficiais (SREA) para nos apercebermos que a ilha está em regressão em termos turísticos, só comparável com a ilha do Corvo.
Talvez este seja o sinal vermelho que muitos nunca esperaram ver, mas que é real, pois o turismo tem sido o grande impulsionador da economia açoriana nos tempos mais recentes.
A redução e o combate à abstenção têm também, por outro lado, que estar no topo das prioridades de todos os candidatos que iniciaram esta campanha eleitoral, pois só dessa forma conseguirão uma legitimação democrática que não levante dúvidas.
Da nossa parte tentaremos sempre auxiliar nessa árdua tarefa, contribuindo para informar o leitor, sem rodeios, opinando sobre acontecimentos, procurando a verdade, abrindo as páginas às polémicas, em espaços apropriados, aos contributos do cidadão e de todas as diferentes forças partidárias, pois a polifonia é enriquecedora e o debate público é vital numa democracia.
Também nós, neste período de campanha, tentamos realizar a nossa, procurando novos assinantes para o jornal entre portas e na Diáspora, e novos contributos escritos de “opinionmakers”, abraçando a missão peculiar que é sempre fazer mais e melhor em prol de uma sociedade de informação, e garantindo que a comunicação social no Faial fique a ganhar.
Este é um jornal de todos e para todos, sem distinção de cor ou raça, de orientação politica ou religiosa, porque ocompromisso que assumimos é com o NOSSO LEITOR, VOCÊ, mas também com a NOSSA ILHA.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO