Associação de Juventude Viola da Terra comemora 10 anos da sua fundação

0
27
DR
DR

Por: Viola da Terra AJ

No passado Domingo, 20 de Dezembro, assinalaram-se os 10 anos da fundação oficial da Associação de Juventude Viola da Terra.

Em Dezembro de 2010 um grupo de pessoas, quase todas da freguesia de Ribeira Quente e quase todos tocadores de Viola da Terra, formalizaram a criação da Associação de Juventude Viola da Terra. O objectivo foi de criar uma entidade que se dedicasse, exclusivamente, à formação, divulgação, valorização e promoção da nossa Viola da Terra.

Ao longo de uma década esta Associação promoveu iniciativas com “Conversas à Viola”, “Encontro de Violas Açorianas”, “Orquestra de Violas da Terra”, “Violas do Atlântico”, “Serões de Viola da Terra”, “A Viola Que Nos Toca”, “Palco Aberto” e “Encontro de Escolas de Violas da Ilha de São Miguel”. Para além da colaboração anual na “Audição do Dia da Criança” da classe de Violas da Terra do Conservatório e, ainda, da organização da programação em São Miguel do “Dia da Viola da Terra”, nos últimos 2 anos, e colaboração com associações e músicos de outras Ilhas dos Açores que promovem o mesmo evento.

O panorama que se vive hoje nos Açores, em torno da nossa Viola, e a dinâmica e valorização que a mesma tem recebido, é completamente diferente do que existia há 10 anos. Rafael Carvalho, responsável pela Associação de Juventude Viola da Terra, assume que o papel da Associação tem sido fundamental na sensibilização das pessoas e organizações para uma maior valorização da Viola e dos seus intervenientes. Para além disso, há sem dúvida uma marca deixada na Região pela Associação de Juventude Viola da Terra na última década que se reflecte na forma como hoje vemos a nossa Viola. A criação de uma “Temporada de Violas da Terra” por parte da Associação, com eventos ao longo de todo o ano, tem contribuído para esse objectivo. Esta entidade tem apoiado ainda vários músicos e grupos ligados à Viola, adquirindo os seus trabalhos para depois oferecer em eventos e escolas, tem ainda proporcionado a oportunidade a tantos e tantos músicos e projectos musicais de subirem aos mais diversos palcos.

Ao mesmo tempo, a dedicação de outras Associações a eventos em torno da Viola da Terra, e a colaboração entre entidades, tem sido vital para o sucesso dessa valorização. A Associação MiratecArts, do Pico, criou o evento “CORDAS World Music Festival” há 5 anos, tendo como base a valorização da Viola da Terra.

O próprio “Dia da Viola da Terra” nasce do “CORDAS” e há 2 anos que a comemoração desse dia tem alterado o panorama da Viola da Terra na nossa Região. Associação de Juventude Viola da Terra, Associação MiratecArts do Pico, Sons do Terreiro – Associação Cultural na Terceira, em conjunto com Renato Bettencourt em São Jorge, Tiago Pavão na Graciosa, Alexandre Fontes em Santa Maria, e muitos outros colaboradores, dinamizam esse dia e os resultados são muito importantes com um grande envolvimento de muitos músicos ligados à Viola da Terra e não só.

Em 2020, ano em que a Associação comemorou o seu 10.º Aniversário, nem a pandemia impediu que a “Temporada de Violas da Terra” acontecesse. Com muita resiliência e inovação, eventos como “Violas do Atlântico – Décima Edição” e “Encontro de Violas Açorianas” decorreram em formato “online”, mas conseguiram atingir um público de milhares de internautas. Também o “Dia da Viola da Terra” manteve-se, com sessões em escolas, com o “Palco Aberto – Música Original”, e ainda com muitas outras iniciativas. Conseguiu-se provar que, com imaginação, persistência e muita boa vontade é possível inovar e continuar a mostrar que a nossa Viola e a nossa cultura está bem viva.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO