Centro Cultural e Recreativo de Castelo Branco: Protocolo de Cooperação Financeira assinado ontem

0
25

Foi ontem, dia 21 de janeiro, assinado o Protocolo de Cooperação Financeira entre a Câmara Municipal da Horta (CMH) e a Junta de Freguesia de Castelo Branco, com vista ao apoio à obra de construção do Centro Cultural e Recreativo de Castelo Branco.

A cerimónia protocolar decorreu após a visita deste órgão executivo às obras e contou com a presença do Presidente, Vice-Presidente e vereadores da CMH, Presidente da Junta de Freguesia de Castelo Branco, entre outros representantes das entidades da freguesia.

O protocolo em causa pressupõe a transferência de 17.671 mil euros, que se destinam à obra do parque de estacionamento e aproveitamento de garagens, sendo que 7.671 vem do fundo de investimento nas freguesias.

Na ocasião, Vítor Pimentel realçou a importância da construção deste Centro, que “será uma mais valia para a freguesia, para os fregueses e para a população faialense de um modo geral”.

Segundo o presidente da Junta de Freguesia, esta obra faz parte de um projeto de candidatura feito ao PRO RURAL, que resultou na transferência de 180 mil euros. Contudo, a obra ronda entre os 220 e 225 mil euros.

“Este protocolo assinado aqui hoje, com mais o que vem da delegação de competências e do acordo da CMH, vai fazer com que seja possível nós concluirmos e criarmos esta infraestrutura”, salientou Pimentel.

O Centro Cultural e Recreativo de Castelo Branco irá dar apoio à Filarmónica, ao Coral de Santa Catarina, bem como a uma vertente de ATL.

“Vamos criar condições que vão dar certamente mais dignidade aos espaços de ensaio, e dar mais condições às crianças e aos professores do ATL, que funciona numas instalações um pouco precárias”, explicou ainda.

O Presidente da CMH, que também se encontrava na freguesia no âmbito do projeto Presentes no Concelho, considerou esta obra como um “equipamento social de grande relevância” e “essencial para o desenvolvimento da própria freguesia”. Acerca do ATL afirmou ser “uma resposta que faltava dar na freguesia”.

José Leonardo diz que o apoio da CMH para a construção deve chegar mesmo aos 40 mil euros no total.

“O Município quer cada vez potenciar mais a sua relação com as próprias freguesias, que tem dado um contributo positivo para desenvolvermos a ilha, e portanto teremos de continuar com este trabalho”, conclui o edil.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO