Devemos centralizar ou descentralizar?

0
9
DR

Admito que já fui das pessoas a favor da centralização, com o objetivo da redução das despesas e melhoramento dos serviços propostos. No entanto, acabei por verificar que tanto nas escolas, nos lares e na economia, afinal é o oposto.
Quando estamos a centralizar, estão a ser criados enormes edifícios que não podem ser construídos por empresas locais devido à burocracia e maquinaria que as empresas locais não possuem. Logo, a construção e manutenção dos edifícios propostos trarão custos de milhões para os nossos impostos.
Quando estamos a centralizar estamos a empacotar pessoas em espaços reduzidos perdendo o espírito de equipa e companheirismo entre os utentes do espaço pretendido. Na área social e da saúde ouve-se pela voz popular que entrar naqueles caixotes de cimento é entrar e morrer lá dentro.
Na educação comentamos que de geração em geração os nossos miúdos estão cada vez mais violentos e mal-educados. Mas por outro lado, nas nossas escolas centrais, constróiem-se gabinetes de trabalho individual, gabinetes de atendimento, gabinetes de reuniões, gabinetes para isto e para aquilo colocando sempre de parte o espaço exterior para que estas crianças possam gastar toda a sua energia.
Exigimos modernidade esquecendo a essência de vivermos felizes e por isso, caro leitor, peço-lhe para parar um pouco e pensar.
O que será perfeito para si quando for preciso viver num lar? O que será perfeito para si para ver o seu filho ou neto feliz? O que será perfeito para quem trabalha arduamente as 40 horas semanais sem conseguir ter o descanso necessário para ser feliz?
Criticamos a centralização de Lisboa, centralização de Ponta Delgada e por cá? Será que não devemos começar pelo nosso concelho? Será que não está mais que na altura de exigirmos a descentralização do primeiro ciclo? De dizer não a centros de dia ou noite mas sim a pequenos lares adequados aos idosos faialenses espalhados pelas várias freguesias da ilha do Faial?
Será que não está na altura de dizer não à centralização dos cereais que importamos semanalmente, será que não está na hora de parar de alimentar os vários sectores que se foram centralizando pelos vários países deste enorme planeta fazendo com que nós sejamos obrigados a importar de tudo para esta nossa ilha?
Contínuo a querer viver numa aldeia global onde possamos viajar entre ilhas, países e continentes com a liberdade que desejamos mas não podemos continuar é a destruir este planeta com a centralização ao oposto da diversificação.
Sonho viver, conforme já referi várias vezes, num concelho onde os miúdos possam ir a pé para a escola a correr e a cantar, os idosos às janelas a observar este trânsito da criançada, os pais a terem tempo para o café da manhã e os afazeres domésticos antes de irem trabalhar. E ao fim do dia as crianças invadem as casas dos avós e dos vizinhos à espera dos seus pais … os pais ao chegarem a casa a prepararem o jantar e a terminarem os afazeres domésticos para quando chegar à hora do jantar estar tudo à mesa. Pais, Crianças e Avós.
Este sonho já foi realidade e sonhávamos com o poder de ir de carro até uma escola. Mas este foi um sonho caro e neste momento muitos de nós desejamos voltar à realidade.
Aplausos ou Assobios

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO