Legislativas Regionais – João Decq Motta é primeiro candidato da CDU pelo Faial

0
15

João Decq Motta é o cabeça-de-lista da CDU pelo Faial às legislativas regionais de Outubro. O anúncio foi feito na passada quarta-feira, na sede do partido, na Horta, pelo mandatário da candidatura, Luís Bruno.

João Decq Motta, 59 anos, destaca-se pela sua actividade sindical. É coordenador da União de Sindicatos da Horta e do Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Sul e Açores. João sucede assim a José Decq Motta, que encabeçou a lista comunista pelo Faial em 2008. 

O candidato comunista pretende ser o rosto no Faial de uma “ruptura política” com as políticas protagonizadas por PS, PSD e CDS-PP, partidos que, para João Decq Motta, criaram os actuais problemas do país e por isso não apresentarão as soluções.

No cenário político regional, o candidato aponta o dedo aos deputados eleitos na ilha pelo PS e pelo PSD: “os interesses da nossa ilha ficaram reduzidos ao limitado vocabulário de dois deputados que dizem sempre que sim e dois deputados que dizem sempre que não”, disse, frisando que “os faialenses estão fartos de ver a sua ilha ficar para trás, perdendo população, peso e importância” nos Açores.

“É tempo de mudar e eleger deputados que não devam favores a ninguém nem tenham medo de enfrentar seja quem for para cumprir a vontade de quem os elegeu”, disse. 

João Decq Motta lembrou alguns investimentos importantes para o Faial “adiados há demasiado tempo”, como sejam a variante à cidade da Horta, o novo quartel de bombeiros, a melhoria das ligações marítimas no Triângulo, a expansão da Marina ou a ampliação da pista do aeroporto. O candidato entende que o PS não dará seguimento a estes investimentos, pois “sempre deu prioridade a outras ilhas”.

 Sobre o PSD, João Decq Motta critica Berta Cabral por fazer promessas como se tivesse “uma varinha de condão”. O candidato questiona a capacidade da candidata laranja cumprir as suas promessas quando o Governo do seu partido na República “está a destruir o Estado, a atacar a Autonomia e a acabar com a nossa capacidade de investir”.

João Dec Motta lembra que a CDU tem “uma longa história nesta ilha”, tendo até elegido, em 2000, um deputado à Assembleia Regional. Agora, o candidato pede aos faialenses um novo voto de confiança, garantindo que a CDU vai continuar a defender aqueles “que são sempre sacrificados, explorados, empobrecidos e espoliados dos seus direitos”. “É preciso votar na CDU para ampliar essa luta e levá-la mais alto, mais longe e com mais força ao Parlamento Regional”, disse.

CDU quer “repor o Faial no mapa da Região”

Para Aníbal Pires, coordenador do PCP nos Açores e primeiro candidato regional da CDU às eleições de Outubro, “a eleição de um deputado da CDU pelo Faial é a garantia de que este ciclo de continuada perda de importância do Faial no plano social, económico e político será invertido”.

Pires entende que a representação parlamentar da CDU, a seu cargo, na legislatura que está agora a chegar ao fim cumpriu aquilo a que se propôs e esteve ao lado dos trabalhadores. Tendo isso em conta, o candidato quer um reforço da votação para evitar maiorias absolutas. A este respeito, Aníbal Pires entende que a legislatura em que não houve maioria na Assembleia Regional foi a mais profícua em conquistas para o povo açoriano, como é o caso da remuneração compensatória e do diferencial fiscal, resultado de um maior diálogo entre os representantes políticos.

Pires lembrou também a legislatura 2000/2004, quando os faialenses elegeram um deputado da CDU: “os faialenses sabem como é diferente quando têm uma voz da CDU no parlamento regional”, frisou.

Sobre João Decq Motta, Aníbal Pires reconheceu-lhe a “liderança de muitas lutas travadas na defesa dos trabalhadores açorianos” e o facto de ser “um cidadão que pauta a sua vida em defesa do trabalho com direitos”.

 

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO