Microsoft obriga a ter ainda mais espaço para instalar a nova atualização do Windows 10

0
11
DR

A próxima grande atualização do Windows 10 está a chegar. Vão ser muitas as novidades que a Microsoft preparou, focando-se mais uma vez em melhorar o seu novo sistema operativo.

Como é normal, a gigante do software definiu os requisitos mínimos para esta atualização e, sem se esperar, o espaço mínimo para a sua instalação foi alterado. Agora temos de ter mais espaço em disco para a podermos usar.

A cada nova atualização, e consequente versão, a Microsoft ajusta os requisitos mínimos para a instalação do Windows 10. Por norma são alterações mínimas que a maioria dos utilizadores não nota e que facilmente satisfaz com as suas máquinas.

Na atualização de maio do Windows 10 a Microsoft voltou a mexer nestes seus parâmetros padrão. Para esta versão, a gigante de Redmond definiu um novo mínimo de espaço em disco para a sua instalação. Estes devem agora se respeitados e usados como o padrão de base para qualquer máquina com Windows.

Os novos valores mostram que para ter o Windows 10, com a próxima versão a ser lançada, as máquinas devem ter, no mínimo, 32GB de armazenamento. Este valor aplica-se para as versões de 32 e de 64 bits.

Os valores anteriores, que estavam em vigor até agora, apontavam para a necessidade das máquinas terem, pelo menos, 16GB na versão de 32 bits e 20GB para a versão de 64 bits do Windows 10.

Esta informação é nova e está na página de requisitos mínimos de hardware do Windows 10. Esta página não tem sido atualizada e tem ainda muitos dados a focarem-se na versão 1703 deste sistema. Há ainda muitas referências ao Windows 10 Mobile e lista o Windows Server 2016 como a última versão, sem qualquer referência ao Server 2019.

Na verdade, estes novos requisitos mínimos não devem afetar muitos utilizadores. Não é já comum existirem máquinas com tão pouco armazenamento disponível, tanto nas versões de 32 como de 64 bits do Windows 10. No entanto, quem se vir nesta situação não poderá realizar a atualização.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO