Nova rede de cabos submarinos poderá potenciar a criação de uma Plataforma Digital no Atlântico Norte

0
56
DR

O Diretor Regional das Obras Públicas e Comunicações, Frederico Sousa, afirmou ontem, em Lisboa, que a nova rede de cabos submarinos que asseguram comunicações entre o Continente Açores e Madeira (CAM) poderá potenciar a criação de uma Plataforma Digital no Atlântico Norte.

Em declarações após a terceira reunião do Grupo de Trabalho que analisa o processo de substituição dos equipamentos CAM, Frederico Sousa revelou que que “nestas duas últimas reuniões, o grupo de trabalho tem assistido a apresentações por parte de empresas”.

Neste sentido, o diretor Regional detalhou que estas mesmas empresas têm “especial relevância e reconhecida experiência em projetos desta natureza, como empresas fabricantes de tecnologia, operadores neutros de telecomunicações e promotores de cabos submarinos transatlânticos, como é o caso da EllaLink.”

O grupo de trabalho debateu, igualmente, as oportunidades de candidatura do projeto a fundos europeus e prosseguiu a reflexão conjunta sobre as ações a desenvolver de forma a dar resposta ao seu mandato.

O Diretor Regional enfatizou, neste aspeto, que o Governo dos Açores, tem defendido uma “solução integrada, com redundância e ligações independentes, de forma a ser possível defender o interesse público e ter condições para se criar uma Plataforma Digital no Atlântico Norte, que possa potenciar a captação de ligações de outros cabos submarinos”.

O Grupo de Trabalho foi criado com o objetivo de proceder ao estudo e à análise da configuração técnica e financeira mais adequada para a substituição atempada dos Cabos CAM, integrando representantes dos governos da República, dos Açores e da Madeira e da ANACOM.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO