Paliativos!…

0
9

Para quem chega à ilha do Faial, e se procurar bem, consegue descobrir as oito diferenças da praxe, desde a última vez que cá esteve.

São mais valias que são introduzidas a conta gotas, num percurso muito, muito lento, da nossa evolução, rumo a um futuro melhor ainda muito distante.

Se estiver menos atento, poderá pensar que são a ponta de um iceberg de uma política estruturada de desenvolvimento do Faial, que, infelizmente, não existe.

Se estiver mais atento, facilmente chegará à conclusão que, de um modo geral, são operações de cosmética, as chamadas “omeletas sem ovos”… sim, porque os grandes ovos teimam em não aparecer por estas bandas!

Senão, vejamos alguns dessas acções, que, na maior parte dos casos, não passam de paliativos, de rebuçados, para irmos chupando, enquanto não chega a hora da nossa… refeição principal.

AMBIENTE

A praia de Porto Pim foi galardoada com a Bandeira Azul…, fruto do trabalho anterior desenvolvido pela Junta de Freguesia, conforme consentido nos discursos oficiais (?) Sem comentários.

O que é certo é que a Bandeia Azul por lá flutua, o que nos apraz registar, facto este que há muito já poderia ter acontecido, se tivesse havido o necessário empenho da tutela nesse sentido…

Recorde-se que tempos houve em que até o próprio Director Regional do Ambiente desconhecia que tutelava aquela “zona de lazer”… Hoje, felizmente, já se evoluiu nessa matéria.

Contudo, continuamos sem equipamento adequado na nossa melhor praia, a animação é diminuta, e o aquário continua… virtual.

OBRAS PÚBLICAS

A Avenida Marginal finalmente recebeu bancos e papeleiras, em betão tipo “basalto fingido”, uma forma fácil e barata de vender “gato por lebre”, como se todos nós não soubéssemos distinguir a diferença entre a napa plástica e o verdadeiro couro… opções da gerência!

Concordamos que é muito mais agradável contemplar o mar, do que estar de costas voltadas e olhar o esforçado arranjo que a UrbHorta fez na nossa “frente mar”…, que oxalá resista à próxima Semana do Mar, como afirmou o seu anterior Presidente!

Claro que dá mais nas vistas fazer o fácil, com miradouros e parques de merendas espalhados pela ilha, para que o povo se delicie em alegres churrascos, para esquecer as amarguras da vida.

Muito mais difícil é, sem dúvida, e muito mais caro, reabilitar as antigas Estradas Regionais do interior da ilha (vulgo estradas do mato), que passaram de asfalto a terra, para que possamos ter o melhor Rallye dos Açores… Boa contrapartida, sem dúvida!…

Muito mais difícil  seria dar continuidade à meia variante que para ali ficou esquecida, à espera de melhores dias, e que, sem ela, o novo Quartel dos Bombeiros também nunca poderá ver a luz do dia…

Entretanto, fiquemos entretidos com uma sardinhada bem regada, e a ver as ondas do mar, de costas voltadas para os nossos maiores problemas!

TRANSMAÇOR

Os horários da Transmaçor foram alargados e agora reflectem melhor a auscultação há muito feita ao mercado, e a oferta de ligações vai de encontro à procura, o que é, sem dúvida, um passo em frente, dado por pessoas desta terra…

O horário de Inverno já é conhecido, o que também é uma evolução se considerarmos o improviso do passado recente…. e espera-se que já em Setembro se divulgue o horário do próximo Verão, altura em que os operadores turísticos nos visitam e constituem os seus pacotes para promoção e venda.

Por outro lado, é preciso ter consciência que uma nova politica de transportes, ligações e horários, leva 3 a 5 anos a consolidar-se e a dar frutos, motivo pelo qual é preciso manter-se este rumo, com persistência, para que consigamos alcançar uma maior maturidade turística neste Triângulo de Ouro.

Contudo, convém não esquecer que a construção dos novos Cruzeiros está suspensa até que o Governo Regional esclareça as dúvidas colocadas pelo construtor…, por forma a não se comprometer a sua entrega no prazo contratual.

Em pior onda, estão os navios regionais para a AtlanticoLine, que, de estudo em estudo, aguardam as próximas… eleições.

CÂMARA MUNICIPAL

A Baía da Horta passou a integrar o Clube das Mais Belas Baías do Mundo, neste primeiro ano em que decorrerá o processo de consagração, e que firmará este galardão.

É um bom caminho para promover a ilha, que poderá conduzir a bons frutos…, mas para tal é preciso que se semeie e plante, que se promova e venda este destino turístico, por forma a que a nossa economia venha a absorver novos fluxos… e aqui é que reside a incapacidade do município em apoiar e desenvolver a nossa economia.

Temos galardões e planos suficientes… O que não temos é obra, o que nos falta é a reabilitação e requalificação urbana, o saneamento básico, a implementação de uma nova politica de circulação e estacionamento, menos burocracia e mais apoio no terreno à actividade económica, que crie emprego, que crie mais atractividade, que apoie a fixação de novas frentes de trabalho relacionadas com o mar, as novas tecnologias e que tire partido dos nossos pontos fortes…

Este mandato já vai quase a meio, e continuamos à espera… há 22 anos!

CÂMARA DO COMÉRCIO

As plataformas logísticas vão avançando, sem darmos por isso… à vontade de César, ou melhor, de Sérgio Ávila e de Sandro Paim…

Ignorou-se a Petição pela abolição de todas as referências a Plataformas Logísticas no Prota.

Trocou-se o parecer da CCIH, que do contra…, passou a favor.

Aprovou-se o PROTA, que criou as Plataformas… Recordo, que, na altura, o PS Faial, obrigado a votar a favor…, lá ia dizendo que as plataformas lá estavam, mas que nada obrigava a que fossem feitas… Santa ingenuidade!

Entretanto, Ângelo Duarte sai do Conselho de Ilha do Faial, porque iria assumir o cargo de Presidente da Câmara do Comercio e Indústria dos Açores… até hoje!

Claro que Sandro Paim persiste em ficar, até porque quis divulgar o estudo “Açores Logístico” que a CCIA mandou fazer a soldo, e que insiste em ganhos (para a Terceira…) de 15 milhões de euros… à nossa custa, claro!

Entretanto a crise avança, e o Comércio Tradicional vai ficando mais debilitado… agora, à espera de um Natal… a 50%.

Campanhas da Páscoa e Santos Populares não existem… Novas politicas de estacionamento no centro da cidade desconhecem-se… Animação do centro histórico… para quê?

O dinamismo da CCIH resume-se a protocolos de cooperação política, que oscilam entre Rallyes e Festivais, da floricultura à panificação, da lula aos presuntos de vaca, de viagens à Galiza e a Viseu…, de muito reduzido impacto na nossa economia.

Novo edifício sede… aguarda-se!

ACESSÓRIO

Facilmente se constata que se tem privilegiado o acessório, o caminho mais fácil, o orçamento mais barato, o gozo ao trabalho, o dia a dia à sustentabilidade, a subsidio dependência ao desenvolvimento, o presente ao futuro, como forma de ir tampando o “sol com a peneira”.

Não quero aqui desvalorizar o trabalho que tem sido feito, com a prata da casa, como forma de mostrar serviço feito, quer aos locais, quer às chefias regionais, e que é importante, pois demonstra motivação e vontade de fazer…

Quero, isso sim, afirmar que as grandes promessas eleitorais continuam por cumprir: Estradas Regionais, Variante, Barcos regionais e para o Triângulo, Aquário Virtual, Saneamento Básico, Parques de Estacionamento, requalificação urbana e animação do centro histórico…

Paliativos atenuam e disfarçam, mas não resolvem o essencial.

Assim, resta aos Faialenses continuarem a aguardar… melhores dias!

Contributos, para

po.acp@mail.telepac.pt

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO