PSD/Açores defende mais mecanismos de apoio às famílias para aquisição de habitação própria

0
6
DR

O líder parlamentar do PSD/Açores defendeu hoje a criação de mais mecanismos de apoio às famílias para aquisição de habitação própria, alegando que tal é essencial para que exista uma “verdadeira estratégia de combate à pobreza”.

“Há que criar mais mecanismos de apoio às famílias que querem adquirir, construir ou arrendar uma habitação. Seja através de apoios individuais, seja através dos apoios às cooperativas de habitação, seja, ainda, através da criação de fundos, em conjunto com a banca, destinados ao crédito à habitação. Uma verdadeira estratégia de combate à pobreza tem na Habitação um dos seus principais pilares”, afirmou Luís Maurício, após uma reunião com a Cooperativa “Nossa Vila Nossa Casa”, em Rabo de Peixe, no âmbito de uma série de encontros para preparar o debate do Plano e Orçamento Regional para 2020.

Na reunião com a Cooperativa “Nossa Vila Nossa Casa” foi também analisada a necessidade se serem criados apoios públicos à infraestruturação de terrenos adquiridos por cooperativas de habitação, bem como à coaquisição de terrenos por parte de grupos de cooperantes destas entidades.

Segundo o líder da bancada social-democrata, “há uma classe média que se vê impotente perante as restrições da banca no acesso ao crédito e que não tem meios de adquirir uma habitação”.

“Durante esta legislatura, o Governo Regional lançou concursos de atribuição de dezenas de moradias. À atribuição destas moradias concorreram centenas de pessoas. Por exemplo, num concurso para atribuir quatro moradias na Ribeira Seca, concelho da Ribeira Grande, apareceram 89 candidatos. Ou seja, a procura é enorme e as atuais políticas públicas são insuficientes para atender às necessidades das famílias açorianas”, disse.

De acordo com Luís Maurício, “esta é a realidade dos números da Habitação nos Açores, que foi apontada como sendo uma das grandes prioridades deste Governo Regional nesta legislatura, mas que ficou muito aquém do necessário”.

“Nos anos de 2017 e 2018, das verbas aprovadas para a Habitação, no valor de 43,9 milhões de euros, 32% ficaram por executar. E este ano, dos 19,2 milhões de euros para a Habitação, a três meses do final do ano, 48% estavam por executar”, frisou.

O presidente do grupo parlamentar do PSD/Açores sublinhou que “os milhões de euros aprovado pelo Parlamento destinados à Habitação sofreram os cortes que sofreram, apesar da oferta de habitação no mercado ser escassa face às necessidades”.

“O comportamento desta governação nas políticas da Habitação é um exemplo acabado de como o Governo Regional finge que faz e finge que investe. É tempo de atacar, com verdade e transparência, este problema que aflige muitos açorianos”, afirmou.

Para o líder parlamentar do PSD/Açores, “o direito à habitação não pode quedar-se pelos princípios e tem que ser uma realidade vivida no dia a dia pelas pessoas”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO