PSP da Horta e Biblioteca Pública João José da Graça assinam protocolo para preservação de documentação histórica

0
21

A Polícia de Segurança Pública da Horta (PSP) entregou à Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça (BPARJJG), para tratamento, preservação e disponibilização para consultas, os livros de registo de toda a atividade da esquadra da Horta ao longo dos anos.

No total foram entregues cerca de 300 livros com quase 200 anos.  A assinatura do protocolo de cooperação entre estas duas instituições de utilidade pública decorreu na tarde da passada sexta-feira, nas instalações da BPARJJG e contou com a presença do Comandante Regional dos Açores, Barros Correia.

A documentação já tinha entretanto sido entregue pela PSP, foi toda tratada e catalogada e já se encontra disponível para consulta.

Segundo Luís Sousa, responsável pela Divisão de Arquivo da Biblioteca, este espólio  compreende “o fundo da Administração do Conselho da Horta, o Arquivo da Polícia Cívica e uma parte do arquivo histórico da PSP da Horta”. 

Para além da informação que estes documentos contêm sobre a Segurança Pública, também incluem informação sobre o funcionamento interno desta instituição, como por exemplo do pessoal, da contabilidade ou da correspondência. 

Para o Comandante Regional dos Açores da PSP, é importante que este património seja conhecido, preservado e que esteja ao alcance de quem tiver curiosidade em perceber o papel da PSP ao longo dos tempos. “É com muito gosto que nós disponibilizamos o nosso acervo, porque é aqui que ele será devidamente tratado, catalogado, como já foi, e devidamente disponibilizado como está a ser”, disse.

Na ocasião Barros Correia agradeceu a “pronta disponibilidade da biblioteca da Horta”, revelando que este é um esforço que está a ser feito em toda a Região. 

O Comandante lembrou que na passada semana foi inaugurado o museu da Polícia em Lisboa, sediado no antigo Comando Metropolitano de Lisboa no Chiado. “Nós temos um projeto também ao nível dos Açores para criação de um museu que está já protocolado com a Câmara Municipal de Vila Franca do Campo que vai no sentido de potenciar o seu espaço para que a PSP consiga ter um espaço seu”, revelou. 

 “Há aqui uma tentativa de trazer às pessoas aquelas que são no fundo as prioridades que a PSP tem. A motivação é dar a conhecer a polícia”, disse acrescentando que “é por esta via também que nos aproximamos do cidadão”.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO