Secretaria Regional da Saúde aposta na melhoria da referenciação de pessoas com dependência

0
25
DR

Trinta profissionais estão em formação, entre 28 e 30 de outubro, com o intuito de robustecer a referenciação para respostas na área dos comportamentos aditivos e dependências.

Suzete Frias, Diretora Regional de Prevenção e Combate às Dependências, garantiu, na abertura, que o documento orientador da Rede de Referenciação/Articulação no âmbito dos Comportamentos Aditivos e Dependências deverá ser conhecido em breve.

O documento orientador da Rede de Referenciação/Articulação no âmbito dos Comportamentos Aditivos e Dependências é um instrumento regulador das relações de complementaridade e de apoio técnico entre as entidades intervenientes.

Para uma intervenção eficaz, é necessário identificar corretamente a gravidade das situações e problemas relacionados. Tal depende da melhoria dos níveis de informação e de conhecimento, do desenvolvimento de competências técnicas e do robustecimento da capacidade de resposta instalada.

A normalização e harmonização das respostas e a capacitação dos profissionais são essenciais à obtenção de “ganhos em saúde junto da população em geral e em matéria de comportamentos aditivos e dependências”, frisou Suzete Frias.

Na formação em “Intervenções Breves e Entrevista Motivacional em Comportamentos Aditivos e Dependências”, que decorre entre 28 e 30 de outubro, ministrada por Hilson Cunha Filho, os profissionais serão treinados para utilizar instrumentos de avaliação, triagem e diagnóstico do consumo de álcool e demais substâncias.

Através de algoritmos, protocolos de rastreio, avaliação do risco e intervenção serão harmonizadas as práticas de encaminhamento para as respostas assistenciais existentes.

Trata-se de uma iniciativa da Direção Regional de Prevenção e Combate às Dependências, em parceria com o Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências. Decorre no Laboratório Regional de Engenharia Civil em Ponta Delgada.

As Intervenções Breves procuram promover a consciencialização do problema de dependência, a gravidade do uso e riscos associados, encorajando o indivíduo a aderir à proposta de referenciação.  Promovem a mudança de comportamento na ótica de paragem de consumo e/ou de prevenção da progressão da doença.

Entre estas, encontra-se a Entrevista Motivacional, um aconselhamento que pretende estimular a mudança do comportamento do consumidor de substâncias psicoativas, num curto período de tempo.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO